Após fala sobre desvio de verbas, Witzel decide ir embora da CPI da Covid

Amparado por uma decisão do STF, os ex-governador acusado de corrupção se levantou e foi embora da CPI

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Após prestar um longo depoimento nesta terça-feira (16), o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel resolveu se retirar da CPI da Covid. O ex-governador, que acabou sofrendo impeachment, teria se ofendido com uma fala sobre desvio de verbas.

Na ocasião, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) questionou Witzel sobre a compra de respiradores no Rio de Janeiro.

“Esta frase não é minha; esta frase é uma frase que virou um mantra hoje no país com relação ao desvio em pandemia: desviar verba pública em época de pandemia não é apenas corrupção, é assassinato. E eu queria lhe perguntar sobre essa compra dos respiradores para o Rio de Janeiro”, disse Girão.

Ao se sentir ofendido, o ex-governador anunciou que iria deixar a CPI sem dar detalhes sobre seus motivos.

“Agradeço a oportunidade, senhor presidente. Agradeço as perguntas. E tenho certeza de que muito temos a contribuir futuramente”, disse Witzel, antes de ir embora.

Escândalos de corrupção no Rio de Janeiro

O ex-governador Wilson Witzel é acusado de montar um esquema de corrupção para desviar recursos do governo federal para auxiliar no combate à pandemia do coronavírus.

As denúncias sobre os ilícitos resultaram no processo de impeachment do político.

Amparo do STF para deixar a CPI

Witzel teve a prerrogativa de deixar a comissão, pois estava amparado em decisão do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal.

A decisão afirma que a CPI não deve impactar diretamente na defesa do político.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPeaky Blinders passa por problema na Netflix após denúncia; entenda
Próximo artigoPolícia Federal deflagra operação contra fraudes aos benefícios emergenciais