Após críticas, Emanuel Pinheiro deve desistir de rodízios em Cuiabá

Medidas anunciadas nessa quinta-feira (2) tiveram contestação do setor produtivo e população por causa de choque em regras

(Foto: Sicom/Cuiabá)

O prefeito Emanuel Pinheiro deverá voltar atrás e não implantar o sistema de rodízios em Cuiabá. As medidas, anunciadas na tarde quinta-feira (2), geraram críticas de empresários e de grande parte da população. 

Apuração do LIVRE indica que empresários procuraram o prefeito na noite de ontem para questionar, por exemplo, a autorização de atendimento nos estabelecimentos de acordo com o CPF. 

Houve manifestação também de pessoas em redes sociais ainda durante o anúncio das medidas, no fim tarde de ontem. O questionamento estava centrado no choque das regras dos rodízios de CPF e de placa de veículos. 

Há pessoas que ficariam impossibilitadas de sair de casa para ir ao mercado de carro em qualquer dia, impedidas pela regra do CPF e pelo número final da placa dos veículos. O decreto 7.975/2020 estabeleceu autorizações pela classificação de dias pares e ímpares. 

O Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) informou no fim da noite de ontem que Emanuel Pinheiro teria recuado dos rodízios, mantendo apenas o toque de recolher a partir das 20h. 

A informação teria sido repassada pela chefia de gabinete do prefeito. 

Hoje (3), a assessoria de imprensa da prefeitura informou que “o prefeito manterá o diálogo com a sociedade em geral quanto ao decreto 7.975/2020 buscando sempre as melhores estratégias para o combate à disseminação da covid-19”. 

LEIA TAMBÉM

Na cabeça de quem?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIvermectina e azitromicina: remédios para covid-19 valem ouro, diz farmacêutica
Próximo artigoPolicial de folga vê assalto, reage, mata dois ladrões e salva vítimas

O LIVRE ADS