Apoiador de Bolsonaro em Sinop, Marcelo Stachin é alvo de operação da PF

Stachin é bem ativo nas redes sociais - sobretudo com posts em defesa do Governo Bolsonaro.

O engenheiro civil Marcelo Satchin, morador da cidade de Sinop(500 km de Cuiabá), é um dos 29 alvos da operação da Polícia Federal contra supostos “propagadores de fake news” contr ministros do Supremo Tribunal Federal.

Stachin é bem ativo nas redes sociais – sobretudo com posts em defesa do Governo Bolsonaro.

A Polícia Federal iniciou esta quarta-feira (27) cumprindo 29 mandados de busca e apreensão frutos de uma operação de combate a supostos propagadores de fake news, em especial pessoas que fazem postagens contra o ativismo judicial dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Não há mandados de prisão.

Os mandados são cumpridos no Distrito Federal, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso.

A investigação é sigilosa e foi instaurada no dia 14 de março de 2019. O relator do caso é o ministro Alexandre de Moraes que, no domingo (24), chamou os envolvidos no esquema de “milícia digital”.

Confira os alvos da operação divulgados até aqui:

  • Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan
  • Carla Zambelli, deputada federal pelo PSL-SP
  • Bia Kicis, deputada federal pelo PSL-DF
  • Douglas Garcia, deputado estadual pelo PSL-SP
  • Roberto Jefferson, ex-deputado federal e presidente nacional do PTB
  • Allan dos Santos, blogueiro do site Terça Livre
  • Sara Winter, blogueira
  • Winston Lima, blogueiro
  • Edgard Corona, empresário
  • Edson Pires Salomão, assessor do deputado estadual por São Paulo, Douglas Garcia (PSL)
  • Enzo Leonardo Suzi, youtuber
  • Marcos Belizzia, membro do grupo Nas Ruas, organizado por Zambelli
  • Otavio Fakhouri, empresário
  • Rafael Moreno, blogueiro

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDiagnósticos de câncer diminuem e a razão pode ser o medo de pegar covid-19
Próximo artigoHospital se confunde e idoso é enterrado no lugar de paciente que morreu com suspeita de covid-19

O LIVRE ADS