Apaixonados e determinados: casal de jovens vende trufas para pagar casamento

Jovens realizaram o compromisso do Tau e vivem relacionamento com várias provações, mas conforme "a vontade de Deus"

Foto: Mayla Miranda

Não é conto de fadas, mas o clima é de romance. Daiane e José Maria, de 22 e 25 anos respectivamente, fazem tudo juntos. Brigas e desentendimentos não têm espaço. O namoro durou pouco mais de um ano e  eles estão noivos há cinco meses. Na contagem regressiva para a união, decidiram vender trufas para arcar com os custos do casamento.

A história de amor teve início na Igreja Católica, onde se conheceram. José conta com convicção e brilho nos olhos que foi amor à primeira vista.

“Desde a primeira vez que a vi na igreja tive certeza de que era a companhia que queria para a vida toda. Mas ela estava em outro relacionamento e, quando  eu descobri, fiquei chateado. Logo depois vi o antigo namorado dela com outra pessoa, aí ressurgiu a esperança e felizmente deu tudo certo”, contou o noivo.

O pedido de casamento aconteceu de forma inusitada, mas marcante para os dois.

“Foi no meio da rua, com todos os carros buzinando. A intenção era ter sido no meio da faculdade, mas ela se atrasou para a aula e acabou sendo ali mesmo, na rua. Mesmo não sendo do jeito programado, foi marcante. Sempre foi o meu sonho, ela é minha cara-metade”, descreveu José.

Daiane, sempre com o sorriso estampado, conta que, mesmo antes de assumir o namoro sério, a conversa do casal sempre foi com objetivo de casamento.

“Quando ainda estávamos nos conhecendo melhor, nossas conversas sempre foram sobre casamento, sempre tivemos essa vontade de constituir uma família. Acredito que um namoro, para dar certo, tem que ter essa meta, ainda mais quando a pessoa te faz feliz, quando você encontra a pessoa certa”, disse.

Segundo os noivos, não deixar se abalar pelas provações e agradecer também são essenciais no relacionamento.

Muitas das provações estão ligadas aos votos de castidade, pobreza e obediência, que o casal assumiu antes do início do relacionamento.

“Alguns conhecidos, amigos, que não vivem do modo em que vivemos, acham que somos loucos, ou não acreditam que vivemos nessa castidade, ” declarou a noiva.

José, conta que viver desse modo requer muita força de vontade e muita determinação, mas é gratificante.

“Muita gente dúvida, mas é bom. Vivemos a castidade e assim nos conhecemos melhor, testamos nossos limites e no final tudo isso se torna gratificante, pois viver de acordo com a vontade de Deus é primordial”, destacou.

As trufas

Devido ao curto tempo entre o pedido e a data escolhida para o casamento, Daiane e José produzem e vendem trufas para custear a cerimônia. Tudo com direito a roupa e caixa personalizada.

“A ideia surgiu depois que vi uma história parecida. Como tínhamos a meta de nos casar em seis meses, decidimos começar a vender. Estamos principalmente em feiras e eventos”, explicou Daiane.

O casal, como já dito, faz tudo junto, inclusive a parte de confecção do produto. José conta que ele cuida da parte de produção dos recheios, enquanto Daiane prepara o chocolate.

Sobre a receptividade do público, a noiva conta que a maioria recebe muito bem e se emociona com a história do casal.

“Já fomos recepcionados de várias maneiras, desde pessoas com histórias de amor que duram 50 anos e outras frustradas, magoadas, que tiveram relacionamentos não tão duradouros. Não nos deixamos se abalar, filtramos as histórias que somam para nós. Mas num geral a maioria das pessoas nos ajudam”, pontuou.

Para quem deseja fazer parte dessa bela história e ajudar o casal a realizar o sonho do casamento, basta entrar em contato pelo telefone (66) 9 9664-8498 e encomendar as trufas.

O compromisso do Tau

O papa Inocêncio III dá o significado do Tau como um sinal da verdadeira fé em Jesus Cristo pela sua semelhança com a Cruz.

Em Ezequiel 9,4 Vemos: ‘Percorre o centro de Jerusalém, e marca com uma Cruz (Tau) na fronte os que gemem e suspiram devido a tantas abominações que na cidade se cometem’.

São Francisco de Assis era devoto da Santa Cruz de Cristo por isso adotou o Tau e recomendava o seu uso.

Os três nós que encontramos no cordão do Tau significam três votos: castidade, obediência e pobreza.

Castidade: o casto cuida da beleza do seu coração e de seus afetos.

Obediência: o obediente é fiel a seus princípios

Pobreza: não é categoria econômica de quem não tem, mas sim ser pobre, no sentido bíblico-franciscano, é a coragem da partilha.

Símbolo de esperança, de conversão permanente e despojamento fazer-se pobre e dizer sim ao chamado de Deus, para criar uma sociedade nova, com seus fundamentos no amor, na paz e no bem.

A maioria dos seguidores do compromisso do Tau, é de jovens que frequentam grupos católicos. Em Sinop, por exemplo, o grupo Jovens Sarados – Missão Sinop, da igreja Santo Antônio, conta com vários integrantes adeptos do compromisso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovem invade igreja evangélica e agride pastor com golpes de facão
Próximo artigoJovem é flagrado pela mãe tentando estuprar sobrinha de 10 anos