Aos oito anos, Kyra se aposenta na PF e dá lugar à sua filha

O ambiente agitado das cidades, rodoviárias, aeroportos e rodovias foi trocado pela calmaria da vida no campo, informou a PF

Foto: Divulgação PF-MT

Depois de muito farejar e contribuir para inúmeras apreensões ao lado de agentes da Polícia Federal desde 2016, a cadela de detecção de entorpecentes Kyra realizou sua última jornada como cão policial na tarde da última segunda-feira (6), durante mais uma fiscalização de combate ao narcotráfico.

Em vistorias realizadas na BR-364, ela participou da ação que culminou na prisão de uma mulher que transportava três tabletes de cloridrato de cocaína de Cuiabá (MT) até Mineiros (GO). O entorpecente foi identificado em uma mochila transportada no bagageiro superior de um ônibus que fazia a linha Cuiabá/Rio de Janeiro.

Segundo a PF, a fiscalização derradeira de Kyra coroa uma carreira de êxitos na instituição, em especial o ano de 2017, em que esteve presente em ações repressivas que permitiram a interceptação de aproximadamente duas toneladas de drogas. “Missão cumprida, a cadela, aos oito anos, agora pendura o focinho e parte para a tão merecida aposentadoria”, diz trecho do comunicado enviado à imprensa.

Filhos de farejadores, farejadores são

A instituição fez questão de lembrar que Kyra deixa um histórico de tarefas bem-sucedidas ao longo de suas jornadas policiais, e também valiosos presentes que continuarão a contribuir no combate ao tráfico de drogas no país: os cinco filhotes, frutos do cruzamento com Harley, outro cão farejador.

A ninhada faz parte do programa de reprodução de cães do Serviço de Canil Central (Secan/PF), em Brasília (DF), onde os filhotes recebem o treinamento de obediência e introdução de odores, antes de serem enviados às unidades onde efetivamente trabalharão.

A Delegacia da Polícia Federal em Rondonópolis (MT) será uma das unidades agraciadas com um de seus filhotes, recebendo a partir do dia 17 a cadela Dea, que dará continuidade ao legado dos pais em ações policiais em Mato Grosso.

Enquanto isso, Kyra que hoje está com oito anos, usufruirá a aposentadoria em um sítio em Rondonópolis, onde uma veterinária será a nova guardiã. “O ambiente agitado das cidades, rodoviárias, aeroportos e rodovias foi trocado pela calmaria da vida no campo. A farejadora agora irá descansar e curtir a natureza, prometendo deixar por onde passou muitas saudades”, finaliza o texto.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem que atacou criança em igreja é agredido e levado para delegacia
Próximo artigoSTF vota contra prazo para cobrar condenado por improbidade