Ampa e IMAmt iniciam parceria com a Case IH em busca de qualificação de mão de obra

O objetivo é lidar com o alto nível de tecnologias embarcadas e utilizadas em diversas operações no campo.

Foto: Divulgação

A Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) assinaram um termo de cooperação com a Case IH, que contempla uma das principais demandas dos agricultores de Mato Grosso: a qualificação de mão de obra para lidar com o alto nível de tecnologias embarcadas e utilizadas em diversas operações no campo.

O anúncio foi feito no encerramento do VI Workshop da Qualidade do Algodão, realizado no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional Sul, em Rondonópolis, no último dia 5, porém essa parceria começou a ser costurada em março passado, numa conversa entre o presidente da Ampa, Alexandre Schenkel, o diretor executivo do IMAmt, Alvaro Salles, e a direção da Case IH, em Sorocaba (SP).

“É com muito prazer que estou aqui hoje, junto com meu time, para assinarmos esse termo de cooperação com Ampa e IMAmt”, comentou Mirco Romagnoli, vice-presidente da Case IH para a América Latina. Ele disse estar “muito impressionado” com a estrutura do CTDT de Rondonópolis. Desde outubro de 2015, Ampa e IMAmt implantaram outros quatro CTDTs com estrutura semelhante, para a realização de cursos e treinamentos, desenvolvimento e difusão de novas tecnologias, nas regiões de Campo Verde, Sorriso/Lucas do Rio Verde (BR-163), Campo Novo do Parecis e Sapezal.

“Não usamos toda a tecnologia que a indústria nos oferece por falta de trabalhadores qualificados”, comentou Schenkel, numa referência ao gap que dificulta a melhor utilização de novas tecnologias pelos cotonicultores mato-grossenses, que adotam em sua maioria o sistema double crop, com o cultivo do algodoeiro após a colheita da soja.

Num primeiro momento, a Case IH, vai oferecer cursos sobre Operação, Manutenção e Diagnóstico para todas as máquinas da Case IH disponíveis no mercado brasileiro. A oferta desses cursos será imediata, já que a estrutura está pronta (os CTDTs Ampa/IMAmt) e a Case IH dispõe de corpo técnico formado. Porém, a parceria Ampa/IMAmt e Case IH deverá ter outros desdobramentos por meio do Isvor – universidade corporativa da FCA (Fiat Chrysler Automobiles), empresa coirmã da CNH Industrial, da qual a Case IH faz parte.

“Sabemos que esse acordo trará desenvolvimento e muitos outros benefícios, como conhecimento, ações sociais e consultorias, para muita gente de Mato Grosso e da região”, afirma Auri Orlando, diretor de Serviços da Case IH. De acordo com Orlando e Romagnoli, a parceria possibilitará oferecer aos associados da Ampa um leque imenso de treinamentos e consultorias para a gestão de pessoas e processos.

Alguns passos concretos já vêm sendo dados nesse sentido. Fernando Silveira, coordenador de treinamentos do Isvor e Marcos Araújo, coordenador de soluções e treinamentos de clientesCase IH, participaram na semana passada da Jornada da Qualidade do Algodão, que percorreu três municípios de produção algodoeira nos núcleos regionais Centro, Centro Leste e Sul. Além disso, representantes do Isvor e Case IH têm participado, a convite do IMAmt, de reuniões realizadas em Mato Grosso visando o desenvolvimento pela Faculdade de Tecnologia Senai Mato Grosso (Fatec Senai MT) de cursos de nível superior e técnico para a formação de profissionais diferenciados e preparados para atender às demandas do agronegócio mais tecnificado.

A parceria Ampa/IMAmt e Case IH prevê ainda a realização de projetos sociais destinados às comunidades carentes de Mato Grosso em ações desenvolvidas pelo time de sustentabilidade da Case IH em parceria com o Isvor. “Essas ações visam desenvolver essas pessoas e integrá-las ao mercado de trabalho de forma sustentável e com qualidade”, explica Orlando.

“Podemos dizer que a Case IH no Brasil começou em Mato Grosso, com a importação da primeira colheitadeira Axial do mundo já com Agricultura de Precisão embarcada. O Mato Grosso ainda tem muitas oportunidades de melhoria na formação de pessoas a serem realizadas e queremos retribuir um pouco de nosso sucesso colaborando não só na formação de técnicos (operadores de máquinas e mecânicos), como também de cidadãos. O sucesso de Mato Grosso é o sucesso da Case”, conclui Romagnoli.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJanaina Riva passa mal e precisa ser internada
Próximo artigoDisque Denúncia oferece recompensa por informações sobre morte de PM