Amor em libras: saiba porque este vídeo tem emocionado a internet

Antecedendo o Natal, crianças cantando em libras encantam a internet

Não só matemática e português ou outras disciplinas comuns às grades curriculares são alvos da dedicação de 44 alunos de uma escola em Rondonópolis (a 44 km de Cuiabá). Eles reconhecem a importância da inclusão social e assim, vão transformando mundos – o deles e o dos outros.

O coral formado por crianças a partir do 2º ano do Fundamental e jovens até o 2º ano do Ensino Médio do Centro Integrado de Ensino ganhou destaque ao circular pela internet um vídeo emocionante em que aparecem cantando em libras. Foram milhares de compartilhamentos.

A música escolhida pelos próprios alunos, “Era uma vez”, de Kell Smith, tem uma letra especial que faz com que ouvidos mais atentos se contagiem pela letra e melodia. Porém, o público alvo é mesmo aquele que precisa de outros recursos para entender a mensagem. Com o preciosismo das expressões gestuais e faciais das crianças ao utilizar a língua das libras, seu alcance é ampliado.

Aqui, o coração fala com as mãos.

Cotidiano

De acordo com o regente, o professor Josimar da Silva Cézar, os alunos têm aula de libras na grade curricular, mas participar do coral, é uma escolha delas.

Tudo começou quando a escola recebeu a primeira criança que necessitava de atenção especial, um menino surdo. “Foi aí que a direção decidiu que não seria desenvolvido um trabalho especial apenas com aquele aluno, mas sim, que era necessário desenvolver uma atividade que envolvesse todos os alunos”.

A ideia partiu da diretora Iracema Peixoto. E a partir daí, abriram-se as portas a outros alunos portadores de necessidades especiais, como cadeirantes, crianças com down e autismo.

“Eles podem não ser fluentes como os professores, mas pelo menos aprendem o básico para se comunicar. Sem contar que a escola adota um método interdisciplinar em que a aula de libra complementa o conteúdo aprendido em sala de aula”. Eles aprendem nas aulas de libra a leitura de operações matemáticas, a exemplo, se estiverem vendo isso em Matemática.

A ideia é fazer com que os conceitos de cidadania que absorvem na escola, ultrapassem seus muros e além, do contato da arte torna-los mais sensíveis, eles se tornam multiplicadores.

“O vídeo tem sido bastante compartilhado e tem servido de exemplo para o país inteiro. Temos recebido muitas felicitações”, diz Josimar. Ele conta que uma aluna com down também integra o coro.

A escolha da música que vão cantar no fim de ano é feita bem no início, com envolvimento dos pais na escolha. “E então vamos trabalhando ao longo do ano”, explica. Em 2016, escolheram Verdades do Tempo de Thiago Brado. Ele ficou sabendo da homenagem e quando foi à Rondonópolis para um show, convidou o coral para apresentar-se a seu lado. Kell Smith, que teve a canção escolhida, também conferiu o vídeo e se emocionou.

O antigo regente, Ever Lima, passou a batuta para Josimar em 2012, mas houve uma interrupção de dois anos a partir de 2016. “Retornamos este ano”. As imagens captadas para o vídeo – registradas em várias ocasiões e pontos turísticos da cidade – foram editadas pela produtora Rock Filmes.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS