América latina: 64% das empresas já apostam na permanência do home office

Pesquisa revelou que apenas 5% das empresas latino-americanas voltaram às atividades totalmente presenciais

(Foto: Cottonbro / Pexels)

A pandemia da covid-19 trouxe novas tendências para o mercado de trabalho e uma delas, sem dúvida, é o home office. Mais empresas estão aceitando o trabalho remoto e acreditando que ele veio para ficar. É o que aponta o relatório “Transformação Digital na América Latina – 2021”, conduzido pelo fundo de venture capital Atlantico.

Segundo o levantamento, 64% das companhias latino-americanas devem apostar no trabalho completamente remoto a partir dos próximos anos. Antes da pandemia, eram apenas 9%.

O levantamento, feito com líderes e profissionais de recursos humanos de 524 companhias da América Latina em julho de 2021, mostra que a mudança no conceito de local de trabalho deve ser gigante. Antes do período de lockdown, 69% das empresas adotavam o modelo presencial, seguidos por 25% do trabalho híbrido e apenas 9% nas atividades remotas.

Atualmente, o cenário é completamente diferente e as posições entre o primeiro e terceiro lugares se inverteram. Além de 64% das companhias estarem apostando no trabalho remoto, o número de empresas no modelo híbrido também aumentou, passando para 31%.

Apenas 5% das empresas voltaram às atividades totalmente presenciais.

Dentro deste novo modelo de trabalho, os entrevistados foram questionados sobre a frequência que os empregados precisam estar no escritório. Do total, 40% afirmaram que precisam estar presencialmente apenas em reuniões externas e conferências e 22% disseram que precisam ir ao escritório apenas algumas vezes por mês.

Dos que adotam o modelo híbrido, 13% afirmaram ter de ir às companhias de 3 a 5 vezes por semana e 21% de 1 a 2 vezes por semana.

Novos funcionários, novas tendências

Os entrevistados foram perguntados como foram as contratações desde o começo do trabalho remoto. 60% afirmaram que as novas aquisições representaram mais diversidade de gênero, seguido por diversidade socioeconômica (54%) e diversidade racial (33%).

As companhias também foram questionadas sobre as atividades dos seus empregados que trabalham remotamente e a forma que analisam algumas particularidades, como se eles atuam secretamente em mais de um trabalho ao mesmo tempo.

Do total, 33% das empresas acreditam que seus funcionários não possuem outras atividades em paralelo, seguidos por 30% de empresas que não sabem, 29% que sabem que os funcionários exercem atividades extras em outros períodos e 8% acreditam que seus funcionários realizam dois trabalhos concomitantemente.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil: 77% dos professores não se sentem valorizados
Próximo artigoGoverno vai manter cobrança extra em energia pelos próximos meses