Ameaça, tortura e violência: PF desarticula quadrilha que grilava terras em MT

Em um dos casos investigados, uma mulher que resistiu às ameaças teve sua casa destruída com um trator

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (6) a Operação Aguapey visando desarticular uma organização criminosa que atuava na grilagem de propriedades rurais.

As ações criminosas, segundo a PF, envolviam violência e grave ameaça e ocorriam na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia.

São investigados crimes de homicídios (consumados e tentados), ameaças, tortura, receptação de veículos roubados, além de diversos delitos ambientais.

De acordo com as informações que a PF já tem, quando um imóvel rural se tornava o objetivo dos criminosos, os proprietários e funcionários passavam sofrer ações violentas, até que desistem da posse da terra.

Em um dos casos investigados, uma mulher que resistiu às ameaças teve sua casa destruída com um trator. Após esse fato, seus familiares foram alvejados por arma de fogo enquanto transitavam dentro da fazenda.

Foi identificado ainda que uma parte dos integrantes da organização criminosa almejava criar um local (lote grilado) para recebimento e distribuição de entorpecentes oriundos da Bolívia.

A estratégia incluiria a distribuição da droga por meio de “mulas”, assim como esconder veículos roubados no Brasil antes de serem remetidos ao exterior.

Mais de 100 Policiais Federais estão cumprido 43 mandados de prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão em Cáceres, Mirassol D’Oeste, São José dos Quatro Marcos, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda.

Todos foram expedidos pela Justiça Estadual da Comarca de Porto Esperidião.

O nome da Operação faz referência ao local onde se concentrava a ação da organização criminosa: as margens do Rio Aguapey.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS