Amarelinhos continuam a multar motoristas na Praça Popular

Mesmo com quatro táxis cadastrados para operar na Praça, faixas não foram extintas

Ednilson Aguiar/ O Livre

Agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob) continuam multando motoristas que estacionam em faixas de táxi no entorno da Praça Popular, nas ruas Brigadeiro Eduardo Gomes e Senador Vilas Bôas.

Em reportagem publicada no dia 1º de julho pelo LIVRE, empresários reclamavam da falta de vagas para clientes dos estabelecimentos do complexo de restaurantes e casas noturnas.

De acordo com um empresário que pediu para não ser identificado, eles continuam multando, ainda que a Semob tenha confirmado que apenas quatro táxis estejam cadastrados para operar no local.

Registro do dia 18 detecta a presenças dos amarelinhos. “Eles continuam multando dos dois lados, onde não existe nenhum táxi. E as placas continuam no mesmo lugar”, desabafou.

Conforme previsão da Semob, a faixa dedicada a táxis ao longo do trecho da praça, na Rua Senador Vilas Bôas, seria extinta na mesma semana em que a reportagem foi publicada, e a extensão da faixa da Rua Brigadeiro Eduardo Gomes seria reavaliada.

“Não entendemos o que ocorre, já que há muita faixa para pouco táxi. A falta de vagas acaba inibindo a presença dos clientes no período noturno, que ficam entre a cruz e a espada: ou são multados ou têm que pagar preço alto por vaga em estacionamento”.

Procurada novamente, a assessoria da Semob encaminhou uma nota:

A respeito das multas aplicadas nas faixas destinadas a taxistas na região da Praça Popular a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) informa que:

– A sinalização ainda não foi retirada do local, portanto estacionar nas vagas continua sendo um ato irregular.

– Embora a Pasta avalie a possibilidade de retirar uma das faixas de táxis, não foi registrado nenhum pedido oficial recente no setor responsável.

Leia também

Praça Popular: faixa de táxi fica às moscas e empresários reclamam

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMPE investiga falta de pontos eletrônicos para servidores municipais
Próximo artigoRestauração de R$ 15 mi