Alvo de operação, ex-prefeito diz que investigadores nem visitaram obras

Gaspar Lazzari (PSD) é acusado de participar de um esquema de desvio de recursos públicos federais

O ex-prefeito de Confresa, Gaspar Lazzari (PSD), criticou a forma como a “Operação Tapiraguaia”, da qual foi alvo no final de janeiro, foi conduzida. Ele foi acusado de participar de um esquema de desvio de recursos públicos federais. No entanto, o ex-gestor rebateu as acusações e, por meio de sua defesa, afirmou que houve acomodação, já que os órgãos investigadores sequer estiveram nas obras para as quais os recursos foram destinados.

“Tais constatações divergem gravemente da realidade incidente ao caso, uma vez que as obras já se encontram há muito edificadas, sendo que através de uma mera inspeção in loco, poderiam os Órgãos acusadores facilmente constatarem o adequado emprego dos versados recursos públicos”, diz trecho da nota de defesa.

A denúncia é de que o ex-gestor teria se apropriado de verbas do Governo Federal destinadas para a construção de pontes, de uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e de uma escola. No entanto, a defesa garante que as obras foram realizadas e os recursos aplicados devidamente.

A operação deflagrada no final de janeiro pela Polícia Federal em conjunto com Controladoria-Geral da União (CGU) cumpriu 61 mandados de busca e apreensão nos municípios de Cuiabá, Confresa, Canabrava do Norte e Porto Alegre do Norte, todos em Mato Grosso, e em Goiânia (GO) e Dourados (MS).

Confira a nota de defesa do ex-gestor, na íntegra:

A defesa do ex-prefeito de Confresa Sr. Gaspar Domingos Lazzari, por meio do advogado João Paulo Brzezinski, publica a seguinte nota para explicitar sua espécie em relação operação deflagrada pela Polícia Federal em conjunto com a Controladoria Geral da União no dia 30 de janeiro de 2019.

Os argumentos, absolutamente equivocados, apresentados pelos mencionados Órgãos acusadores se resumem no fato de que o Município de Confresa/MT, durante a Gestão do Sr. Gaspar Domingos Lazzari, teria recebido verbas do Governo Federal deixando de aplicá-las aos seus fins específicos, notadamente na edificação de pontes, de Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Unidade Básica de Saúde (UBS), assim como a de uma escola.

Nesta senda, é importante manifestar desde já que conforme difundido pelos mencionados Órgãos, as constatações que justificaram a deflagração da dita operação se deram no ano de 2017 pela Controladoria Geral da União, sendo certo que tais constatações divergem gravemente da realidade incidente ao caso, uma vez que as obras já se encontram há muito edificadas, sendo que através de uma mera inspeção in loco, poderiam os Órgãos acusadores facilmente constatarem o adequado emprego dos versados recursos públicos.

Vê-se claramente que no presente caso, houve-se uma acomodação injustificável destes Órgãos em fiscalizar/investigar de forma adequada a gestão Municipal levada a efeito pelo Sr. Gaspar Lazzari, contudo, tal comportamento não foi repetido quando da deflagração da operação, uma vez que o que se viu na mídia, foram condutas dignas de holofote, havendo inclusive a inadequada efetivação de juízo de valor por parte dos agentes públicos responsáveis pelas desmoderadas diligências policiais empregadas em desfavor dos investigados, dentre os quais a pessoa do Sr. Gaspar Lazzari.

Assim, reitera-se o repúdio a versada operação policial, a qual além de não se justificar, frente a total ausência de qualquer conduta ilícita praticada pelo Sr. Gaspar Lazzari, também não cuidou de preservar a sua imagem, vindo assim a ferir os princípios da presunção de inocência, do contraditório e da ampla defesa, bem como o da própria dignidade da pessoa humana, todos estes elencados s em cláusulas pétreas de nossa Constituição Federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCrise no Planalto: “Bolsonaro vai conversar com a rapaziada dele, diz Mourão”
Próximo artigoMais uma vítima do incêndio no Flamengo tem alta