Alunos da rede pública vão “batizar” onças nascidas em cativeiro

Esta é a segunda reprodução bem-sucedida em cativeiro de onças-pintadas

Alunos de duas escolas públicas de Foz do Iguaçu, no Paraná, é que vão dar nome aos filhotes de onça-pintada nascidos no Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), unidade de conservação da Itaipu Binacional.

Nesta quinta-feira (29), estudantes puderam acompanhar os primeiros passos das oncinhas, que nasceram no início de junho.

Esta é a segunda reprodução bem-sucedida em cativeiro de onças-pintadas no Refúgio Biológico da Itaipu. Em dezembro de 2016, nasceu Cacau, a primeira reprodução depois de 14 anos de tentativas.

Concurso

Segundo o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell, a instituição fará uma pré-seleção dos nomes e convidará os alunos para visitar as onças.

O objetivo do concurso é aumentar ainda mais o vínculo das crianças com o RBV, promover a educação ambiental e proporcionar o contato com a natureza.

A seleção terá duração de um mês. Os alunos poderão votar em uma urna que ficará diante do recinto das onças.

A escola que tiver o maior número de votos nos nomes vencedores vai ganhar um kit com cinco computadores, para equipar ou ampliar uma sala de informática.

Filhotes

As onças-pintadas nasceram nos dias 1º e 2 de junho deste ano e foram apresentados à imprensa no dia 27 daquele mês, data do aniversário de 35 anos do Refúgio Biológico Bela Vista.

Na ocasião, foi feita a sexagem (processo visual para saber se são macho ou fêmea) e avaliação geral, para verificar a saúde dos filhotes.

A oncinha preta, melânica como a mãe (Nena), é fêmea; a outra, pintada como o pai (Valente), é macho.

Após três meses, elas passam bem e já podem ser expostas ao público no recinto das onças, junto com a mãe.

Na última pesagem, há duas semanas, o filhote macho tinha 12 kg e a fêmea, 8 kg. Elas são alimentadas, diariamente, junto com a mãe, com 3 kg de carne, quantia que será aumentada gradualmente nos próximos meses.

Reinserção na natureza

Nena chegou ao RBV em 2016, vinda de uma fazenda entre Mato Grosso do Sul e Goiás. Mais antigo no refúgio ambiental, Valente chegou em 2007. Ele foi encontrado em uma fazenda entre Mato Grosso do Sul e São Paulo.

O objetivo do Programa de Reprodução da Onça-Pintada da Itaipu é formar um banco genético vivo que permita, futuramente, fazer a reinserção desses animais na natureza.

Os novos filhotes podem se tornar reprodutores e ajudar no processo de reintrodução das espécies nascidas em cativeiro.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro diz que vai vetar trechos da Lei de Abuso de Autoridade 
Próximo artigoTaxa de desemprego no Brasil cai para 11,8%, diz IBGE