Alunos da rede pública de MT farão séries “geminadas” para recuperar atraso da pandemia

Seduc montou o cronograma de aulas de 2021 como uma extensão do calendário letivo de 2020

Imagem Ilustrativa (Foto: Seduc-MT)

Alunos da rede estadual em Mato Grosso vão cursar séries germinadas, com contagem de dois anos letivos num bloco de praticamente 24 meses. Os anos de 2020 e 2021 serão considerados como extensão um do outro e um currículo de conclusão será entregue somente no encerramento do ano que vem. 

A mudança no calendário foi publicada esta semana pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e foi aprovada como uma tentativa de recuperar o déficit de aprendizagem nos meses em que as atividades ficaram suspensas por conta da pandemia, sem contagem oficial de dias/aulas. 

Na prática, os alunos que não estão matriculados nas séries limites de transição do ensino básico para o ensino médio ou de conclusão do ensino médico vão passar por um “extensivo” com conteúdo da série em que estava matriculado neste ano e da que iria cursar em 2021. 

“Vai ser um quarto semestre estendido até 2021. Ele vai durar ao longo do próximo ano e vai ter material da série que aluno cursaria normalmente, como se tivesse concluído uma série para avançado para outra”, disse a secretária-adjunta de Gestão Educacional, Irene Costa. 

Segundo ela, a Seduc prepara o cronograma de aplicação de aulas em 2021. A carga de horas/aulas deverá ser mais pesada que o normal; em 2021, os alunos terão atividades complementares para alcançar as 800 horas do ano letivo de 2020 e também fechar as 800 horas de 2021. 

E o vestibular?

Os alunos em conclusão do terceiro ano do ensino médio, que vão passar pelo Exame Nacional do Ensino Médico (Enem) no começo de 2021, terão a opção de passar por um “intensivão” de aulas nesta reta final do ano ou continuar na série para conclusão no fim de 2021. 

“Se aluno que está na última série do ensino médio quiser prestar Enem no começo do ano, a escola vai preparar material para que ele possa cumprir matérias ainda neste ano. Para isso, ele precisa avisar a direção de escola ainda este mês. Caso contrário, o aluno continuará com os demais alunos no quarto bimestre integrado até o fim de 2021”, explica a secretária-adjunta. 

Para o grupo que seguir as aulas, os certificados de conclusão serão liberados somente no fim de 2021, com informação explicada de conclusão de duas séries via programa integrado de ensino. 

As atividades neste ano estão previstas para encerrar em dezembro. O retorno está programado para 1º de fevereiro, já num modelo híbrido de aulas presenciais e remotas.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresa de MT representa Brasil em feira tecnológica na China
Próximo artigoCaso Isabele: defesa da família Cestari vai ao STF pedir acesso à ação