Alunos chineses retornam às aulas com controle de temperatura e divisórias

Grandes cuidados para evitar novo surto

China News Service

Aos poucos o mundo está começando a retornar a normalidade, mas ainda assim, as autoridades políticas de cada país têm adotado muitos cuidados para que não ocorra um segundo surto ainda mais violento do novo coronavírus.

A China, primeiro epicentro mundial a sofrer com o vírus, já liberou diversas grandes cidades como Pequim, Xangai, Hangzhou e Chongqing, a reabrirem as escolas. Entretanto, novas medidas de segurança foram aplicadas para o retorno dos alunos.

A mudança mais nítida é a instalação de divisórias de acrílico instaladas em cada carteira dos estudantes. O uso de máscaras descartáveis também é obrigatório a todos alunos que também irão cumprir as medidas de distanciamento social

Em algumas escolas, um chapéu com viseira de acrílico também será necessário para assistirem às aulas. Já em Pequim, o retorno dos alunos também é monitorado pelo controle de temperatura. Só entra quem não está em estado febril, garantindo um código verde para ficar na escola.

Para os menores, outra medida criativa foi adotada. Os alunos da Escola Primária Yangzheng, em Hangzhou usam bonés com bricolagem, como “réguas” de papel para que mantenham distância dos coleguinhas. As fotos compartilhadas pelo perfil Sixth Tone, no Twitter, foram cedidas pelo Zhejiang Daily.

Até o momento, a China registra 83 mil casos de infecção por coronavírus contando com 4.600 óbitos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Fobia” dos testes rápidos
Próximo artigoA música de Chopin e o poder da revolução

O LIVRE ADS