Alta temperatura da pista em Cuiabá faz Gol limitar número de passageiros em voo

Ciência explica a relação entre o clima e as decolagens e pousos de aeronave

O calor escaldante de Cuiabá fez com que alguns passageiros da Gol do voo 1721 (Cuiabá-Brasília) fossem realocados em outro voo no Aeroporto Marechal Rondon, na manhã desta sexta-feira (20).

Uma das pessoas que estava no grupo conta que os técnicos da empresa informaram que, devido à alta temperatura, as aeronaves precisam voar mais leves.

A companhia aérea informou ao LIVRE, por meio de nota, que a alta temperatura da pista causa uma limitação técnica. Por este motivo, o peso da aeronave é aliviado com a distribuição dos passageiros em outros voos da empresa.

Tudo isso é um procedimento padrão e, segundo os próprios passageiros, a mudança não causou atrasos ou prejuízos financeiros, porém deixou “uma pulga atrás da orelha” dos clientes.

Será que a temperatura pode afetar o pouso e decolagem de uma aeronave?

Correntes de ar

No Blog Todos a Bordo, um artigo explica que temperatura local, altura da pista, umidade e pressão atmosféricas são fatores que impactam diretamente nas decolagens e pousos.

Quando está calor, a baixa densidade do ar exige uma aeronave mais leve. Isto porque o avião precisa que correntes de ar passem pelas asas e deem ao motor condições de atingir a potência máxima e velocidade.

Então, caso você tenha que ser realocado em outra aeronave por causa do calor, não se impressione.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro sanciona MP da liberdade econômica; veja os principais pontos
Próximo artigoApós capacitação do Senar, amigos empreendem e oferecem cursos sobre segurança