Alta dos combustíveis: 4 mil desistem de ser motorista de app na grande Cuiabá

Faturamento diário nos últimos meses caiu de R$ 230 para R$ 180 e desse valor ainda é preciso descontar o valor para encher o tanque

Imagem ilustrativa

Você está esperando mais tempo pela chegada do motorista de aplicativo? A demora tem a ver com as altas consecutivas dos preços dos combustíveis. Profissionais estão desistindo da prestação do serviço particular. 

Conforme o presidente da Associação dos Motoristas por Aplicativos de Mato Grosso (AMA-MT), Cleber Cardoso, o lucro está escasso e o serviço, que ainda estava se recuperando paralisação das atividades no ano passado, foi surpreendido novamente, uma vez atrás da outra, pelas as correções dos preços da gasolina e do etanol.

LEIA TAMBÉM

“Além da paralisação no ano passado, agora estamos passando por uma situação que nem imaginávamos. Abastecer com gasolina não é uma opção para os motoristas de aplicativo, senão ele vai trabalhar só para rodar o carro”, disse. 

Segundo Cardoso, desde maio de 2020, cerca de 4 mil motoristas desistiram dos aplicativos só na região metropolitana de Cuiabá. O motivo está nos números. O faturamento diário nos últimos meses caiu de R$ 230 para R$ 180 bruto para cada 12 a 15 horas trabalhadas.  

Dessa quantia, cerca de R$ 85 são gastos a cada 180, 200 km rodados para reabastecimento do tanque. Ainda entra no cálculo de despesas o percentual dos administradores de aplicativos. 

A desistência de 4 mil prestadores de serviço é descontada do grupo 10,5 mil motoristas que circulam por Cuiabá e Várzea Grande – mais da metade deles pela Uber ou pela 99 Pop. O reflexo aparece na marcação de tempo que o cliente precisa esperar até que o carro chegue. 

A opção para reduzir os custos tem sido a conversão do carro de etanol ou gasolina para o gás natural veicular (GNV). Conforme Cleber Cardoso, o valor de reabastecimento para cada 200 km rodados é R$ 33. 

E as altas semanais dos preços pela Petrobrás geraram uma corrida pela conversão. Nos postos autorizados a fazer a modificação, a fila de espera já chegou a meados de abril. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

12 COMENTÁRIOS

  1. Se o etanol é produzido aqui, porque tem que acompanhar a gasolina? O governo estadual precisa diminuir os impostos mas, cadê um deputado para levantar essa bandeira?

  2. Era motorista de Aplicativo, desisti a um mês porque já está impossível trabalhar, a tarifa jamais aumentou, não vou ficar trabalhando para dar lucro a passageiro e aplicativos.

  3. Políticos todos FDP, só enchergam a população ia bom período eleitoral ,passou as eleitos manda ir pra PQP. Por 4 anos…aí aparecem o povo imbecil da a mamadeira pra chupar aos mesmos por 4 anos…país de meerda

  4. BEM FEITO PRO POVO BRASILEIRO K NUNCA FAZ NADA ACEITA TDO CALADO….E OUTRA ESSES MOTORISTA ACOMODADOS …GOSTAM DE TRABALHAR COMO ESCRAVOS DEPOIS FICA RECLAMANDO…..VOLTA A ESTUDAR PRA NÃO DEPEDER DE APLICATIVO….

  5. BEM FEITO PRO POVO MATOGROCENSE ….TOMARA K AUMENTA MAIS O COMBUSTÍVEL….NA ÉPOCA DE ELEIÇÕES ELES FICAM MENDIGANDO COMBUSTÍVEL E ADESIVO PRA COLOCAR NO CARROS….TOMA SEUS BESTA ….AUMENTA MAIS …..

  6. Mauro Mendes,lixo de governo,está na hora de trabalhar pro povo e não pra João Doria,você é mais pilanora que ele.
    O povo trabalhador autônomo está mendigando,pra poder sobreviver,enquanto você está aumentando o salário de seus bezerros.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFilho é denunciado por deixar mãe de 78 anos em condições insalubres
Próximo artigoPolêmica da reeleição