ALMT vota reforma da Previdência e servidores vão romper quarentena para impedir

Reforma da Previdência já tramita na ALMT desde março de 2020

(Foto: JL Siqueira / ALMT)

Nesta quarta-feira (13), a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) apreciará em 1ª votação da PEC 06, que é a reforma da Previdência estadual. A proposta está em tramitação desde março deste ano e deve atrair para a porta da assembleia aglomeração de servidores que são contrários às alterações das regras de aposentadoria.

Um dos dirigentes do Fórum Sindical, Antônio Wagner de Oliveira, avalia que a apreciação da medida em pleno período de pandemia é uma “covardia”.

“A gente encara com um pouco de surpresa essa tentativa de colocar essa pauta em um momento como este, porque o trabalho sujo aconteceu quando aumentaram a alíquota de contribuição previdenciária, tanto dos servidores ativos, quanto dos servidores inativos”.

No próximo mês passa a valer a nova alíquota previdenciária de 14% para os servidores do Estado. Até então, a alíquota praticada é de 11%. “Acho que o governo quer fazer isso [aprovar a segunda parte da reforma] para que as pessoas não sintam o primeiro impacto e em seguida venha com outra reforma atrapalhando todos os servidores”.

Wagner diz ainda que a atitude da ALMT em pautar agora a apreciação da PEC 6 é estratégia para evitar um debate mais aprofundado sobre o assunto com os servidores e a sociedade.

Rompendo o isolamento

Segundo o representante do Fórum Sindical, apesar das medidas restritivas em razão da pandemia do coronavírus – que impedem aglomerações – “é muito provável” que os servidores deverão fazer manifestações em frente à ALMT.

Servidores durante ocupação de 3 dias da ALMT para tentar impedir votação que alterou regras da RGA (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os líderes sindicais talvez não deverão repetir a ocupação de três dias que foi promovida em janeiro de 2019, durante aprovação do chamado Pacto por Mato Grosso, quando tentaram impedir – em vão – a votação de medida que suspendeu o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) no ano passado e neste ano.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Complicado… Aumentam cargos desembargador, aumentam verba e auxílios pra auditores, votam aumento 400% pro alto escalão das diretorias , auxílio saúde pra procurador que ganha 30 mil, mas pro pessoal executivo só vem pedrada, porque não podemos ter tratamento de assembleia ou tratamento de tribunal? Triste…

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNúmero de pacientes hospitalizados por covid-19 em MT aumenta 256% em 15 dias
Próximo artigoHospitais filantrópicos aguardam R$ 2 bilhões em auxílio federal