ALMT vai investigar suspeita de servidores fantasmas

Caberá a uma comissão interna avaliar a frequência de trabalho dos servidores

Presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM) (Foto: JL Siqueira / ALMT)

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso editou uma resolução para investigar a suspeita da existência de servidores fantasmas. Trata-se de uma denominação dada no serviço público ao suspeito de receber salário mensalmente mas não comparecer ao local de trabalho para exercer as atividades.

A informação foi dada nesta quinta-feira (7) pelo presidente do Legislativo, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), durante sessão ordinária.

Caberá a uma comissão interna avaliar a frequência de trabalho dos servidores lotados nos gabinetes dos parlamentares e unidades administrativas do Legislativo.

“Nós faremos uma resolução administrativa para avaliar a frequência de servidores. Existem indícios e muita conversa de servidores fantasmas. Quem não trabalha deve ser demitido”, declarou Botelho.

A comissão será composta pelos seguintes funcionários do Legislativo: Ricardo Riva (Procurador-Geral da ALMT), Bruno William Cardoso Leite (Corregedor-Geral) e Domingo Sávio (Secretário de Gestão de Pessoas

O prazo inicial para investigação será de 60 dias.

“Considerando a necessidade de apurar eventuais irregularidades no controle de frequência de servidores desta casa, fica criado a comissão com objetivo de apurar eventuais indícios de irregularidades da Assembleia Legislativa com prazo de duração 60 dias”, diz um dos trechos do documento.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVárzea-grande terá sua primeira edição do Concurso Miss Várzea-Grande Plus Size
Próximo artigoMudança para BRT pode travar renovação de ônibus em Cuiabá por mais tempo