Algumas curiosidades e lendas sobre a Maçonaria no Brasil

Dia do Maçom foi comemorado na terça-feira (20) no Brasil

Foto: Pixabay

Na terça-feira (20) comemorou-se no Brasil o Dia do Maçom. A data não é por acaso: tem a ver com a reunião de maços que culminou na independência do Brasil. Dom Pedro I era maçom e, em sessão da sociedade sigilosa realizada no Rio de Janeiro, foi pedida a independência do país em data equivalente a 20 de agosto de 1822. Dias depois a independência do Brasil foi proclamada, em 07 de setembro do mesmo ano.

O LIVRE ouviu o grão-mestre Ademir Amorim, do Grande Oriente do Estado de Mato Grosso, a mais antiga loja [como são chamadas os lugares de reunião] de MT. O cargo dele é equivalente ao de governador do Estado para a maçonaria. Dentro da organização, como no mundo profano [como eles dizem], há uma organização em legislativo, executivo e judiciário em alguns estados. Como os militares, a Maçonaria também é uma entidade hierárquica.

Ademir destaca que são mitos as conversas de que os maçons vendem a alma para o diabo. Segundo ele, não é verdade que os membros da organização fazem pacto um com o outro, conta que também é uma lenda urbana que os filhos primogênitos dos maçons são entregues ao diabo.

Outra coisa que também é mito, segundo o grão-mestre, é de que é necessário beber o sangue de bode durante o ritual da iniciação. Aqui cabe uma história sobre o bode: Ademir conta que antigamente, na Europa, os bodes e cabritos eram usados para sinalizar onde ocorreriam as reuniões em uma espécie de “WhatsApp”. “Aqui em Mato Grosso esse animal seria a vaca”, disse o grão-mestre, rindo.

Segundo ele, a Maçonaria não é uma religião, mas sim uma filosofia, mas para entrar é preciso ter uma religiosidade e acreditar em um ente superior, não podendo ser ateu. A Maçonaria regular do Brasil não tem mulheres em seus quadros. No entanto, a sociedade sigilosa exige a aprovação da mulher [esposa] para que o homem possa entrar. “Respeitamos muito a mulher, de antes a Maçonaria já preza muito a família”, disse.

O grão-mestre ainda destaca que a Maçonaria não é contra religião. Mas destaca que seus membros, mesmo em 2019, ainda são vistos com preconceito pelas igrejas. Conta que diversos membros querem saber o que acontece na Maçonaria. “Quando vêm me questionar eu pergunto se as pessoas sabem o que os pastores e padres juram para entrar lá, para saber se é preciso ser membros, então eles também são uma sociedade secreta”, rebate.

Ademir Amorim destaca que a instituição ajuda casas de caridade espalhadas pelo Brasil, como o Abrigo dos Idosos, em Cuiabá. “As lojas ajudam sem fazer propaganda disso, talvez falta a sociedade conhecer mais a Maçonaria”, disse.

Ademir ressalta que a Maçonaria tem um tripé filosófico de liberdade, igualdade e fraternidade. Segundo ele, é uma instituição que busca o crescimento pessoal dos seus membros, depois da sociedade como um todo.

“A Maçonaria é uma sociedade para fazer o bem para o homem e a humanidade; se o homem estiver bem ele é capaz de resplandecer para toda humanidade, nosso intuito é fazer o bem para o homem e para toda sociedade”, destacou.

Símbolos

Quem nunca passou por uma loja maçônica e ficou se perguntando sobre os símbolos? Na internet se encontra muito sobre os símbolos usados pelos maçons. O sol, por exemplo, é um dos mais usados e simboliza a caridade e o amor divino.

Outro muito usado é o famoso “olho que tudo vê”: na verdade se chama de “olho da providência” – e poderia ser interpretado como o olho de Deus observando a humanidade.

Outro símbolo bastante usado pela Maçonaria é o homem lapidando uma pedra. O símbolo está na entrada de várias cidades do Brasil e mostra que o homem é como uma pedra a ser lapidada.

Fatos históricos

Ao longo da história do Brasil a Maçonaria participou ativamente de fatos importantes, como da Inconfidência Mineira, movimento que mais tarde ficou maior e culminou na independência do Brasil. Em seguida, a Maçonaria também apoiou o movimento de abolição da escravatura no país.

Ao longo do tempo, o país teve altas figuras da república maçons. Presidentes e vice-presidentes participaram da sociedade secreta. O último deles foi o presidente Michel Temer (MDB).

Atualmente, o vice-presidente do Brasil, general Hamilton Mourão (PSL), é maçom. Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, o vice de Jair Bolsonaro (PSL) disse que por onde tem andado procura ir nas lojas maçônicas e sempre recebe apoio dos maçons para a forma de governar do presidente. A entrevista foi exibida em 16 de julho de 2019.

Fraternidade

Os maçons se tratam como irmãos, segundo o grão-mestre. As mulheres dos outros maçons são as cunhadas e, os filhos, sobrinhos.

Também são considerados como sobrinhos os rapazes que fazem parte da Ordem DeMolay, uma ordem discreta para jovens do sexo masculino de 12 a 21 anos, que não precisam ser filhos de maçons necessariamente. Essa é uma ordem para-maçônica.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMulher esfaqueia o marido porque “vem sofrendo agressões há muito tempo”
Próximo artigoÚltimo dia para inscrição em concurso da prefeitura; salários chegam a R$ 9,5 mil

O LIVRE ADS