Alerta vermelho: sistema de classificação do governo aponta que Cuiabá precisa de lockdown

O LIVRE analisou os boletins diários de propagação do coronavírus das últimas duas semanas. Cuiabá teve aumento de 130% no número de infectados

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

De acordo com o novo sistema de classificação de risco para a covid-19 criado pelo governo de Mato Grosso, Cuiabá atingiu o alerta vermelho e medidas severas de distanciamento social precisam ser implantadas.

O decreto publicado na última sexta-feira (12) prevê que cidades nesse estágio devem implantar quarentena coletiva obrigatória por um período mínimo de 15 dias, além de barreiras sanitárias para controlar quem entra e sai do município.

Em outras palavras, adotar o regime de lockdown, que permite o funcionamento apenas de atividades consideradas essenciais.

A reportagem do LIVRE usou os critérios previstos no decreto do governo e dados dos boletins diários de evolução do novo coronavírus produzidos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

LEIA TAMBÉM

Conforme o decreto, a classificação dos municípios deve ocorrer levando em consideração a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e a de propagação da covid-19 entre as pessoas.

O intervalo de tempo para a coleta desses dados deve ser de 15 dias. Sendo assim, o LIVRE se embasou nos números dos boletins divulgados nos dias 30 de maio e 13 de junho.

Apenas os casos ativos de covid-19 foram considerados, ou seja, de pessoas que ainda estavam doentes dentro deste período.

Segundo o boletim da SES, Cuiabá tinha 521 casos ativos da covid-19 no fim de maio. Esse número subiu para 1.203 neste sábado, o que representa um aumento de 130% em duas semanas.

E o último boletim da Secretaria – o do dia 13 deste mês – apontou ainda que, das 130 vagas em UTIs destinadas exclusivamente a pacientes da covid-19 na Capital, 80 estavam ocupadas. Um percentual de 61%.

Pelas novas regras criadas pelo governo de Mato Grosso, cidades que têm mais de 40 casos ativos da covid-19, mais de 60% das UTIs ocupadas e uma taxa de contágio do novo coronavírus superior a 100%, devem ser receber o alerta vermelho (risco muito alto).

(Foto: Reprodução)

Para o cálculo, a reportagem do LIVRE considerou os números de quatro hospitais localizados dentro de Cuiabá: o São Benedito e o antigo pronto-socorro – ambos administrados pelo município – e a Santa Casa e o Hospital Universitário Júlio Müller.

O que diz a Prefeitura de Cuiabá?

Em nota, a Prefeitura de Cuiabá informou que ainda analisa o decreto do governo do Estado que institui o novo sistema de classificação.

“Reitera que independentemente de onde tenha partido a iniciativa, o enfrentamento é contra o novo coronavírus e as informações serão devidamente analisadas pelo Comitê de Enfrentamento Municipal à Covid-19”, diz o texto.

Nesta segunda-feira (15), o secretário de Saúde do município, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, reúne-se com o governador Mauro Mendes (DEM) para tratar de assuntos relacionados à pandemia.

Várzea Grande

A reportagem do LIVRE também analisou os números de Várzea Grande, considerando o mesmo intervalo de tempo: do dia 30 de maio ao dia 13 de junho.

De acordo com os boletins da SES, a cidade da região metropolitana tinha 171 casos ativos da covid-19 no fim do mês passado – um número que saltou para 335 neste sábado. O crescimento, portanto, foi de 95%.

Já a taxa de ocupação das UTIs exclusivas para infectados pelo coronavírus atingiu a marca de 76%. Dos 42 leitos que existem na cidade – 40 no Hospital Metropolitano e 2 no Pronto Socorro Municipal – 32 estão ocupados.

Combinados – conforme prevê o sistema criado pelo governo de Mato Grosso – os dois percentuais colocam Várzea Grande em alerta laranja (risco alto), uma constatação a qual a própria Prefeitura já havia chegado.

Neste domingo (14), por meio da assessoria, a administração da cidade informou que o Comitê de Enfrentamento ao novo coronavírus já sinalizou positivamente para os critérios do governo.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura de Várzea Grande vai pedir hospital de campanha ao governo de MT
Próximo artigoNarrativas de aluguel: que tal alugar livros durante o isolamento social?