AL articula retorno do público aos estádios de futebol em MT

Projeto de lei foi protocolado nesta quarta-feira (29), em iniciativa conjunta do presidente e primeiro secretário do Legislativo

Um projeto de lei apresentado em conjunto pelos deputados estaduais Max Russi (PSB) e Eduardo Botelho (DEM) prevê o retorno parcial do público nos estádios de futebol de Mato Grosso.

Agora, a proposta será submetida a análise da Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia e Desporto bem como pela de Constituição e Justiça antes de ser submetido ao plenário para aprovação dos 24 deputados estaduais .

De acordo com a proposta, a abertura dos estádios de futebol à retomada do público será lenta, gradual e devidamente planejada obedecendo aos critérios de vigilância sanitária para evitar a disseminação do coronavírus (Covid-19).

Botelho ainda condicionou o retorno do público aos exames de diagnóstico para Covid-19.

“Precisamos voltar, de forma gradual, a frequentar os estádios, desde que seja dada essa garantia de teste negativo de covid-19 ou que esteja imunizado. Espero que seja apreciado em regime de urgência, para que possamos votar até amanhã e encaminhar ao governador para que sancione e vire lei. É uma discussão que precisamos começar e, podemos sim, começar por Mato Grosso”, disse.

Atualmente, Mato Grosso conta com o Cuiabá Esporte Clube na primeira divisão do futebol brasileiro.

A única partida até o momento na elite do futebol brasileiro foi contra o Juventude do Rio Grande do Sul no dia 29 de maio. A disputa realizada na Arena Pantanal terminou empatada pelo placar de 2 a 2.

Cuiabá ainda tem sediado partidas da Copa América de Futebol. O evento é realizado pela Conmebol que tem proibido a presença de público como medida de prevenção sanitária.

Regras para o público

Pelo projeto de lei, a abertura deverá ocorrer mediante protocolos estabelecidos para zelar pela saúde física e mental dos participantes. As medidas de segurança serão determinadas entre os times de futebol e a administração local, envolvendo os setores de Segurança Pública, Saúde e outros necessários para a implementação e fiscalização.

Dessa forma, o público interessado deverá cumprir os seguintes critérios: exame RT-PCR negativo, realizado no máximo 48 horas antes do evento ou comprovante de vacinação, sendo dose única ou duas doses, a depender do imunizante recebido. Além disso, o retorno do público não poderá exceder 35% da capacidade do estádio.

Receita aos clubes

Um dos trechos do projeto de lei diz que desde o reconhecimento da pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em março de 2020, quando os campeonatos estaduais e a Copa da Libertadores foram paralisados, para conter a proliferação do coronavírus, os clubes de futebol amargam com perdas de receitas, sem a comercialização de ingressos, de camarotes e cadeiras cativas, além da venda de alimentos e bebidas em dia de jogos.

“Abrir os portões é importante para minimizar o prejuízo dos clubes. Embora, seja necessário ressaltar que a abertura, no primeiro momento, seja de até 35% da capacidade, podendo aumentar esse volume posteriormente, conforme a variação da curva epidemiológica; taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI”, diz trecho do projeto, que terá que ser condicionado à liberação da Confederação Brasileira de Futebol – CBF.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLicença de cinco meses
Próximo artigoCartórios de MT batem recorde de registros de testamentos