Águas Quentes: hotel prioriza sitiantes e fortalece economia local

Enquanto os hóspedes ganham em qualidade, os vizinhos ganham mais um cliente

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Investir no desenvolvimento da economia local e obter mais qualidade nos produtos que vão à mesa dos hóspedes estão entre as diretrizes do Hotel Mato Grosso Águas Quentes. Atualmente, cerca de 30 sitiantes estão cadastrados e atendem a unidade, conforme a necessidade do empreendimento e a oferta de produtos.

Além de verduras e hortaliças, mandioca, carne de porco, frango caipira e ovos veem dos arredores, onde estão diversas comunidades rurais. Tudo chega fresquinho, cheio de sabor e ainda em condições de ficar mais tempo armazenado, o que reduz o desperdício.

Hotel recebe centenas de hóspedes nos finais de semana Foto: (Luiz Alves/ O Livre)

Segundo o gerente do hotel, Fábio Oberty Fávero, parte dos produtos tem uma qualidade superior ao encontrado no mercado em Cuiabá. Tanto que quando há disponibilidade, realiza-se uma compra maior, que é distribuída pela própria logística da rede hoteleira para as outras unidades.

Conforme Fávero, outra preocupação do hotel é pagar um preço justo e condizente com o mercado. Desta forma, a rentabilidade do agricultor acaba sendo maior do que quando usa de atravessadores para comercializar o produto.

Oportunidades aos vizinhos

O gerente do hotel, Fábio Oberty Fávero, diz que o estreitamento das relações com os moradores é algo que a empresa preza. Um exemplo prático está na predileção por se contratar as pessoas que moram nas proximidades, o que transformou o quadro de funcionários. Hoje, 60% da equipe é formada por gente da região.

Assim, muitos conseguiram melhorar a renda, se manter na área, conquistar mercado para os produtos agrícolas e até mesmo evitar o êxodo dos jovens.

Também há intensos diálogos sobre questões relativas à preservação do Parque Estadual de Águas Quentes e o resultado está no serviço de monitoramento da área, principalmente no que diz respeito à caça e extração de madeira ilegal.

Quem participa da corrente

Mandioca da espécie camanducaia é um dos destaques da propriedade. Foto: (Ednilson Aguiar/O Livre)

Clóvis Dalbello é um dos fornecedores do hotel. Ele fazia entregas de hortaliças e cheiro verde (salsa, coentro, cebolinha) três vezes por semana. A primeira entrega era na segunda-feira, com 20 pés de folhas e a quantidade ia subindo até que, no final de semana, o consumo chegava a 60 pés.

O sítio dele fica a cerca de 3 quilômetros do hotel, o que facilita a entrega. O restante da produção do agricultor é entregue aos atravessadores, que buscam os produtos para vender na Central de Distribuição, no Jardim Industrial, em Cuiabá.

“Eles [o hotel] nos ajudam porque pagam melhor. Lá, eu também consigo buscar cascas de frutas, que uso como adubo, e o resto de comida, usada na alimentação dos porcos”, relata.

Atualmente, Dalbello está com o plantio de hortaliças parado por conta dos incêndios florestais e da seca. Ele está esperando o volume de água no córrego aumentar para retomar a produção.

Contudo, a plantação de mandioca, considerada uma das melhores da região, e a criação de porcos seguem a todo vapor. Ele esclarece que a grande diferença da raiz colhida na terra dele é a espécie.

Junto aos técnicos da Embrapa, ele conseguiu ramas da espécie camanducaia, que é melhor que a liberato, comumente plantada em Mato Grosso. Como a produção tem irrigação, há mandioca o ano inteiro e, independente do clima, ela se mantém sequinha e em qualidade para qualquer tipo de prato.

Da propriedade de Delbello, o hotel costuma adquirir mandioca, carne de porco e ovos, além da hortaliça.

Serviço

Hotel Mato Grosso Águas Quentes está localizado na Serra de São Vicente, a 85 km de Cuiabá. O empreendimento fica no meio do Parque Nacional de Águas Quentes.

O local tem piscinas normais, naturais com águas termais e ainda uma série de atrações com contato direto com a natureza.

Leiam também:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFundação Abrigo Bom Jesus de Cuiabá recebe reforma da área médica
Próximo artigoPGE defende gasto de R$ 2,2 milhões com celulares para o Ministério Público de MT