Agente penitenciária denuncia racismo ao ser impedida de entrar com bolsa em banco

Após ter que deixar bolsa do lado de fora, ela reparou que todas as mulheres brancas do lado de dentro estavam com suas bolsas

Imagem ilustrativa / Freepik

Uma agente penitenciária de Cuiabá, de 34 anos, registrou um boletim de ocorrência nessa terça-feira (20) afirmando ter sido vítima de racismo após ser impedida de entrar em uma agência bancária em Cuiabá com sua bolsa e, depois, notar que todas as outras mulheres, de pele branca, haviam sido liberadas para entrar com suas bolsas.

O caso aconteceu em uma agência do Banco do Brasil no Centro Político Administrativo, por volta das 14 horas, quando a mulher foi até o local fazer uma transferência e precisou entrar na agência para realizar outro serviço.

Segundo a agente penitenciária, ao tentar passar pela porta giratória ela foi abordada pelo segurança do banco, que disse que ela não poderia entrar no interior da agência com a bolsa e que ela teria que guardá-la em um armário e pegar de volta quando saísse.

Ela pediu que o segurança olhasse sua bolsa para que ela pudesse entrar, mas ele recusou, dizendo que o procedimento era guardar no armário. A mulher, então, acatou a ordem, deixou a bolsa do lado de fora e entrou na agência.

Do lado de dentro, porém, notou que várias mulheres de pele branca – ela é negra – estavam com suas bolsas e não estavam sendo questionadas pelo segurança.

Ela resolveu questionar os funcionários, que nada fizeram. Com isso, a mulher resolveu chamar a Polícia Militar, que a orientou a registrar um boletim de ocorrência por racismo.

Sentindo-se constrangida, a mulher optou por realmente registrar o boletim contando o tratamento que recebeu na agência, onde, inclusive, é correntista.

O caso foi registrado como “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem motivo para pânico
Próximo artigoRejeição à vacina chinesa tem fundamento? Médico explica situação