Advogados vivem situação de caos no interior de Mato Grosso, diz OAB

O requerimento enviado ao presidente do Tribunal de Justiça foi assinado por 29 presidentes de subseções da OAB do interior

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Presidentes de 29 subseções da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do interior do Estado enviaram requerimento ao presidente do Tribunal de Justiça, Rui Ramos, solicitando a suspensão dos prazos processuais nesta terça e quarta-feira (29 e 30), sob pena de caos pelo que classificaram como situação de penúria vivida pelos municípios.

Os juristas argumentam que, devido à greve dos caminhoneiros que já dura 9 dias, não existe combustível algum na maioria das cidades, o que impede o deslocamento dos advogados. Eles ressaltam que, por mais que a situação em Cuiabá esteja supostamente normalizada, não é apenas a advocacia da Capital que “milita neste sodalício”.

“Não suspender todos os prazos e julgamentos no Estado se tornará um verdadeiro cerceamento de defesa a todos que não possuem condições mínimas de locomoção, causando um verdadeiro caos”, alertam no documento.

O requerimento é assinado por presidentes de subseções de municípios como Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres, Sinop, Tangará da Serra, Colíder, Juína, Canarana e Primavera do Leste, Água Boa, Vila Rica, Nova Mutum, Comodoro, dentre outros.

A greve

A greve dos caminhoneiros começou no último dia 21 de maio, com uma série de reivindicações. No último domingo (27), o Governo Federal cedeu aos pedidos, no entanto, a manifestação continuou e os reflexos são sentidos com o desabastecimento de vários setores, como postos de combustívelmercadosgás e água.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSocorro, presidente!
Próximo artigoAção Global em Mato Grosso tem mais de 13 mil atendimentos