Advogado que ameaçou esquartejar mulher é solto pela Justiça

Desembargador viu ilegalidade na prisão e determinou a soltura imediata

Desembargador Juvenal Pereira da Silva

O desembargador Juvenal Pereira da Silva, plantonista do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) no domingo (30), determinou a soltura do advogado Reinaldo Américo Ortigara, acusado de ameaçar de morte sua mulher, no estacionamento do Várzea Grande Shopping.

Ao acolher o pedido de liberdade, o magistrado disse que sua prisão foi determinada por uma fundamentação inidônea e destacou que a vítima já conseguiu uma medida protetiva contra o acusado.

Ortigara foi preso na tarde de sexta-feira (28), depois de ter sido denunciado à Polícia Militar por ter agredido e ameaçado uma mulher. No boletim de ocorrência, chegou a constar que ele estava armado. Contudo, sua pistola, calibre 380, foi encontrada no porta-malas do carro.

Consta ainda que a vítima teria revelado que Ortigara disse “que venderia o carro e pagaria alguém para esquartejar a mesma”.

Ao analisar o pedido de revogação de prisão preventiva, o desembargador destacou que houve ilegalidade na prisão do advogado, considerando falta de requisitos básicos para a prisão.

Juvenal observou que a decisão pela prisão foi tomada com base em “termos genéricos que se aplicariam a uma infinidade de hipóteses, sem, contudo, especificar as razões pelas quais a prisão preventiva se faz necessária”.

Segundo a decisão, o advogado é primário e ainda seria o único responsável pelos cuidados de um pai alcoólatra e dos avós adoentados, que residem com ele. Consta ainda que a vítima teria afirmado à polícia que tratou-se de caso isolado e que o homem nunca teria sido agressivo, em seis anos de relacionamento.

O magistrado ainda considerou que Ortigara não oferece risco à vítima, uma vez que a juíza plantonista da 2ª Vara de Várzea Grande, que determinou a prisão do advogado, também expediu medidas protetivas de urgência em favor da mulher agredida.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAvião faz pouso forçado e polícia encontra mais de R$ 4 milhões
Próximo artigoSete meses depois, MP denuncia procuradora que atropelou gari

O LIVRE ADS