Advogado diz que ser algoz de Arcanjo era única bandeira de Taques

Zaid Arbid diz que tucano usa seu cliente nas campanhas porque é mais fraco

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O advogado Zaid Arbid, que defende o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, prevê que o governador Pedro Taques (PSDB) deve usar novamente a prisão do seu cliente como mote na campanha eleitoral neste ano. Segundo ele, a opção por usar a prisão de Arcanjo nas campanhas eleitorais ocorreu Taques não tinha outra bandeira para mostrar à população.

“O Arcanjo preso ainda era mais forte pessoalmente porque Pedro Taques nunca teve uma bandeira dele para mostrar, mesmo sendo, na época, procurador da República. Ele se apresentava como o algoz, o justiceiro de João Arcanjo Ribeiro”, afirmou o advogado à imprensa. As declarações foram feitas na manhã desta quarta-feira (15), na coletiva que anunciou que outro cliente de Zaid, o suplente de Taques e atualmente senador José Medeiros (PODE), havia revertido a cassação na Justiça Eleitoral.

Taques se elegeu senador em 2010 tendo como principal mote de campanha a atuação como procurador da República que levou à prisão do ex-bicheiro. Nas eleições de 2014, seu mote era o combate à corrupção, e o caso Arcanjo foi novamente utilizado. Na avaliação do advogado, o tucano usa Arcanjo politicamente por ser mais fraco que ele.

“João Arcanjo Ribeiro sempre foi pessoalmente um homem muito mais forte que Pedro Taques, porque ele sempre foi o mote da campanha, sempre foi o porto seguro da campanha de Pedro Taques”, afirmou. “Não me surpreende se hoje Pedro Taques, declive abaixo eleitoralmente, vá se apegar de novo à figura de João Arcanjo Ribeiro para lhe dar forças. Eu tenho quase certeza que será usado novamente o mote de João Arcanjo ribeiro para sustentar e dar força à campanha”, disse.

Para o advogado, o fato de Arcanjo estar fora da prisão – pois conseguiu progressão para o regime semiaberto –, não diminui a força dele como mote de campanha. “O João Arcanjo Ribeiro continua da mesma forma: o mesmo homem, a mesma condição. Eu acho que só alguém fraco pessoalmente, ao se lançar politicamente, pode se valer da figura de uma pessoa que está presa e deveria ser menos forte que ele”, disse.

“Todas as vezes que foi usado, ele estava longe daqui. Seja no Uruguai, em Campo Grande ou Porto Velho”, disse, citando o período que Arcanjo estava foragido no exterior, e depois cumprindo pena em presídios federais em outros Estados. “Ele é bem consciente, verdadeiro. Essas coisas não vão alterar o emocional ele. Ele vai saber entender que pessoas mais fracas estão usando ele para se fortalecer”, concluiu.

Na mesma entrevista, Zaid Arbid fez duras críticas ao governador, a quem acusou de criar cortinas de fumaça para desviar o foco do escândalo dos grampos ilegais em seu governo, que ficou conhecido como grampolândia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.