Adolescente suporta estupros do padrasto para não ferir sentimentos da mãe

Ele era abusada dentro de casa e não contava para a mãe porque sabia que ela gostava muito do padrasto

Imagem ilustrativa

Uma mãe de 33 anos descobriu nessa quarta-feira (13) que sua filha de 12 anos vinha sendo abusada sexualmente pelo padrasto, de 31 anos.

Em meio à dor de contar o que sofria, a menina disse que não havia relatado à mãe antes porque sabia que ela gostava muito do padrasto e tinha pena dela.

Descoberta

A Polícia Militar chegou ao caso por meio de uma denúncia anônima, que dizia que uma menina de 12 anos havia sido abusada sexualmente em uma fazenda em Juína (750 km de Cuiabá), na madrugada da quarta-feira (13).

Uma equipe da Polícia Militar foi até o endereço indicado na denúncia, a aproximadamente 45 quilômetros da cidade de Vilhena (RO).

Ao chegar na fazenda, os militares encontraram a mãe da vítima e ela começou a contar o que havia acontecido. Segundo a mulher, ela é casada com o suspeito há seis anos, mas na madrugada dessa terça-feira (13), por volta das 4 horas, ela flagrou uma cena estranha.

Primeiro ela percebeu que o quarto de sua filha estava com a porta fechada e, quando voltou para seu quarto, percebeu que a porta fez um barulho.

Quando foi conferir o que tinha feito o barulho, ela encontrou seu esposo apenas de toalha no banheiro e escutou o choro de sua filha no quarto.

Ela perguntou à menina o que estava acontecendo e esta, a princípio, não quis contar nada. Mas logo depois contou que o padrasto havia passado a mão em suas partes íntimas.

Questionado, o padrasto negou que tivesse abusado da enteada e pediu que a polícia não fosse acionada, dizendo que iria sumir da vida da esposa. Mas a mulher ligou para uma amiga e pediu que esta acionasse os policiais.

A vítima

Aos militares, a menina contou que por várias vezes o padrasto já passou a mão nas partes íntimas dela e uma vez chegou, até mesmo, a ter relação sexual.

Ela afirmou que nunca teve coragem de contar à mãe porque sabia que ela gostava muito do padrasto e porque tinha pena da mãe.

O suspeito fugiu da casa logo pela manhã e não foi mais encontrado. Em 2016, a esposa já havia o denunciado pelo mesmo crime, mas o perdoou e seguiu com o relacionamento.

O caso, agora, foi registrado como estupro de vulnerável.

Prisão

Já por volta das 16 horas dessa quarta-feira (13), a Polícia Militar recebeu denúncias de que o suspeito estava em um posto de combustível.

Uma equipe foi até o local indicado, o encontrou e encaminhou para a Delegacia da Polícia Judiciária Civil, onde foi entregue.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMato Grosso registra mais duas mortes por covid-19; total chega a 23
Próximo artigoHomens são presos por se passar por fiscais do meio ambiente para extorquir vítimas