Início Crônicas Policiais Adolescente indígena é estuprada por quatro índios em unidade de tratamento

Adolescente indígena é estuprada por quatro índios em unidade de tratamento

A menina de apenas 13 anos, que estava fazendo tratamento psicológico na Casai por ter sido estuprada pelo avô, agora está grávida de um dos abusadores

Imagem ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A mãe de uma adolescente indígena de 13 anos procurou a polícia nessa terça-feira (30) para denunciar que a filha foi abusada sexualmente por quatro indígenas enquanto estava hospedada na Casa de Saúde Indígena (Casai) de Barra do Garças (520 km de Cuiabá).

A menina havia começado a frequentar a Casai em 2020, quando iniciou um tratamento psicológico por ter sido vítima de estupro por parte do avô em 2017, em São Paulo.

Desde setembro, porém, a mãe começou a perceber que a filha estava com comportamento e físico diferentes, sempre cansada, e quando ela parou de menstruar resolveu fazer um teste de gravidez de farmácia na menina, que deu positivo.

A mãe, então, conversou com a adolescente, que contou que estava sendo estuprada frequentemente por quatro homens indígenas, ao menos cinco vezes cada um, em momentos diferentes.

Dois dos envolvidos são primos da adolescente e trabalham na Casai, um deles é técnico de enfermagem e o outro trabalha na limpeza. Os abusos, segundo a adolescente, aconteceram na Casai.

A vítima disse que o terceiro acusado chegou a fotografar os abusos e que o estupro aconteceu na Aldeia Guadalupe, quando ela ficou com a mãe por dois meses na casa de uma tia.

O quarto acusado, segundo relato da mãe, confessou ter abusado da adolescente por duas vezes, sendo uma da Casai e outra na aldeia.

Assim que soube de tudo, a mãe levou a filha para fazer uma ultrassonografia e descobriu que ela está gestante de quatro meses.

O caso foi registrado pela Polícia Civil como estupro de vulnerável.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui