Acrimat pede que Mapa investigue entrada clandestina de gado boliviano em MT

Sindicatos rurais de três cidades informaram à associação indícios de compra de animais por causa de preço menor

Os gados só existiam nos vídeos. Sem avançar com a negociação, vítima desconfiou (Imagem Ilustrativa)

A Associação do Criadores de Gado de Mato Grosso (Acrimat) pediu aos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea) que investiguem a entrada clandestina de gado da Bolívia no Estado. 

O diretor técnico da Acrimat, Francisco de Sales Manzi, diz que sindicatos rurais de Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda e Cáceres apontaram para a entrada de animais bolivianos via faixa de fronteira. 

Nesta semana, teriam sido apreendidos e abatidos dois lotes de animais. Porém, o diretor não divulgou a quantidade exata de cabeças de gado. 

“Mato Grosso tem uma fronteira seca de mais de 740 quilômetros, e garantir nossa soberania é dever de todos”, disse. 

Ainda conforme o Acrimat as entradas clandestinas estariam ocorrendo por causa da  “grande diferença de preço” da cabeça de gado entre Mato Grosso e a Bolívia. No primeiro semestre, os preços dispararam no Brasil. 

Pedido de investigação também foi enviado ao Grupo Especial de Fronteira (Gefron). A Acrimat quer que seja expandida a fiscalização volante nas centenas de quilômetros de fronteira. 

A associação pede ainda que seja implementado um disque denúncia via 0800 para contato dos produtores rurais. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRéu que matou caminhoneiro após discussão banal é condenado
Próximo artigoFort Atacadista e Comper realizam processo seletivo para vagas em Várzea Grande