Acirramento de disputa

Ação de Max Russi para se manter no comando da Assembleia com uso da Procuradoria Legislativa quebrou consenso com Botelho

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A parcimônia com o que o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho, vinha tratando o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode lhe devolver o mandato de presidente foi suspendida. 

Ele decidiu que não vai mais falar sobre o assunto até que saia a decisão. O motivo foi uma ação iniciada pelo atual presidente, deputado estadual Max Russi (PSB), a partir da Procuradoria Legislativa. 

Botelho diz que Russi deveria ter consultado a Mesa Diretora e os demais deputados antes da agir. Até a semana passada, o assunto vinha sendo tratado consensualmente entre eles. 

Eduardo Botelho chegou a dizer que Max Russi o procurou para saber se estava liberado a buscar caminhos para permanecer no cargo. Russi confirmou a covnersa e negou qualquer atrito.

O acordo no entendimento de Botelho, todavia, seria para Russi recorrer na ação que já existe e não ingressar com uma nova.  

Agora, eles decidiram que nenhum dos dois deve tocar no assunto até o Supremo decidir. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça nega pensão a viúva de lenhador após constatar fraude na carteira de trabalho
Próximo artigoLira volta a descartar impeachment de Bolsonaro