ABRAFIBRAS quer ampliar uso de fibras naturais na hotelaria

A sustentabilidade é uma preocupação constante das empresas para atender a demanda do comportamento de seus clientes e na hotelaria não é diferente. Aproveitando a agenda de sustentabilidade cada vez mais presente e necessária, a ABRAFIBRAS – Associação Brasileira da Indústria e dos Produtores de Bambu e Fibras Naturais, identificou na hotelaria de lazer uma forma de conectar o viajante que busca aumentar a sua experiência com meio ambiente e os biomas locais.

Valor agregado

O projeto Bioeconomia na Hotelaria da ABRAFIBRAS tem como finalidade agregar valor ao ciclo das fibras naturais. Visa garantir desde o plantio até o produto final, que deixará de ser confeccionado de forma artesanal, com baixo apelo funcional e estético, para tornar-se um produto com design atual, funcional e exclusivo. “Minha experiência na área de Gestão de Compras de produtos voltados para a montagem hoteleira, aposta na relevância destes hotéis como uma grande vitrine para alavancar e contribuir com o desenvolvimento econômico das comunidades, atrelada às necessidades socioambientais”, destaca Ana Fiorda, Consultora Técnica ABRAFIBRAS.

De acordo com Katiane Gouvêa, Diretora Executiva da ABRAFIBRAS, a entidade inicialmente começou a defender o uso do bambu. “Hoje defendemos o setor das seguintes fibras naturais: Bambu, Juta, Malva, Seda, Sisal, Fibra de Coco, Piaçava, Tucumã, Inajá, Bacaba, Açaí, Capim dourado, Licurí, Macaúba, Abacá, Curauá, Buriti, Cânhamo entre outras. As folhas, o caule, e a casca, hoje em sua grande maioria descartadas, são feitas de fibras com potencial estruturante e de alto valor na bioeconomia, com aplicação em diversos usos, com design contemporâneo e em escala industrial”, destaca Katiane lembrando que: No mundo, a bioeconomia movimenta 2 trilhões de Euros e gera cerca de 22 milhões de empregos. São 40 milhões de famílias e 200 milhões de pessoas envolvidas na cadeia produtiva segundo dados da OCDE.

Diversos usos das fibras

Para Katiane as iniciativas e projetos visam a inserção do bambu e das fibras naturais nos setores de construção civil e vão mais além. Podem ser usadas na área de acabamentos e interiores, na decoração de áreas comuns como recepção, deck, salas, e de áreas privativas como quartos e banheiros, assim como nos uniformes e acessórios do staff das redes hoteleiras e nos restaurantes, como jogos americanos, souplats. talheres, copos, panelas entre outros. O plantio de mini-florestas de fibras naturais também pode ser uma forma das redes hoteleiras investirem na sustentabilidade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Governos anteriores enviavam seu dinheiro para ditaduras comunistas”, diz Bolsonaro
Próximo artigoA discriminação por gênero no ar!