A reeducação de hábitos de digitais

Saiba porque o brasileiro precisa rever o tempo que utiliza o smartphones para ser saudável

(Foto: Marcello Casal Jr./Arquivo/Agência Brasil)

Em tempos onde se vive com os olhos pregados nas telas, a revisão de hábitos digitais parece ser a solução para se evitar uma epidemia de gente sofrendo de doenças causadas por elas.

Segundo a techmundo, canal especializado em tecnologia, a média do brasileiro navegando na internet é de 9 horas diárias. Isso mesmo! Passamos nove horas com os olhos pregados na internet. E dessas nove horas, duas são nas redes sociais.

Estamos educando uma geração de crianças e jovens que não sabem mais o que é um relacionamento sem WhatsApp ou brincar com algo que não seja digital.

O impacto disso tudo é sentido nos consultórios médicos de todo o país. As pessoas estão ficando obesas, com insônia e desenvolvendo distúrbios cognitivos irreversíveis.

Diante de toda essas reflexões, listamos 5 hábitos simples que podem ajudar na reeducação de hábitos digitais e melhorar a sua atenção.

Cara a cara:

Evite usar o smartphone enquanto estiver conversando com alguém. Se a conversa for chata ou entediante, saiba desviar o assunto com sua inteligência, não pregando os olhos no dispositivo.

Leitura:

Boas leituras começam com livros na mão. A experiencia sensorial, olfativa e tátil de um livro físico melhora a experiência de consumo do conteúdo. Em caso de querer estudar o tema ou fazer uma pesquisa, o ideal é anotar. Sim! Papel e caneta valem mais do que um print na tela.

Alimentação:

Principalmente para os pequenos, saber se alimentar é esscencial para o desenvolvimento. É sabendo como usar garfo e faca e mesmo experimentar as texturas dos alimentos que aumentamos a capacidade de nutrição. Uma criança que não sabe o que está comendo raramente será um adulto saudável.

Exercícios:

Tá pago, se o exercício for sem a ajuda de fones de ouvidos, helth bands, relógios inteligentes ou dispositivos que ficam aviando quantos passos já deu. Exercício físico não é somente um movimento do corpo, mas é do cérebro também. E se ele estiver distraído com outra coisa, dificilmente focará na fortificação do músculo.

Inovação e diversão:

Crianças que brincam na infância, são jovens mais preparados para os desafios, e consequentemente adultos com musculatura cognitiva para aguentar esforços a mais.

Não faz sentido dar uma tela para uma criança de 2 anos ficar vendo outra criança abrir brinquedos e depois ver jovens inovadores brincando em tobogãs em seus escritórios: é ridículo!!!!

Exemplo:

O hábito mais importante para a reeducação digital, na prática, é o exemplo. Não adianta proibir smartphones para seus filhos se você não o faz.

Saiba que os adultos saudáveis de hoje foram crianças que se frustraram, se machucaram e que contemplaram rotinas e não apenas ficaram maratonando a vida dos outros para aprender.

Por: Maria Augusta Ribeiro. É especialista em Netnografia e Comportamento de consumo digital no  Belicosa.com.br

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSonha em lançar um livro? Governo de Mato Grosso abre edital para seleção de projetos
Próximo artigoCinema e turismo: seminário vai discutir implantação de film comission em Mato Grosso

O LIVRE ADS