A profundidade da Duna

Ir ao cinema sempre esteve entre as minhas atividades favoritas. Penso que, por mais prático que seja o streaming em casa, nada substitui a imersão na telona.

Desta vez, juntamente com minha esposa e um amigo, fui assistir ao filme “Duna”.

Esse texto não contém spoilers, porque não pretendo contar nenhum detalhe da trama. Meu objetivo aqui é outro.

Trago como exemplo esse filme, mas isso que vou falar pode ser tão elástico quanto a sua mente permitir. “Duna” pode significar coisas diferentes a depender de quem assiste. Eu, por exemplo, sabia que o diretor do filme é o Denis Villeneuve (eu assisti a quase todos os seus filmes) e sabia que o compositor da trilha sonora é o Hans Zimmer, meu compositor favorito. Inclusive, antes de assistir ao filme, eu escutei a trilha sonora no Spotify para ir me familiarizando.

Para uma pessoa que assistiu a esse filme “por acaso”, sem nenhum conhecimento prévio, com certeza a experiência foi diferente. Pode-se dizer que, objetivamente, será menos profunda do que aquela de quem sabe mais detalhes sobre a obra como um todo.

Agora, aos fãs do Frank Herbert, criador do livro “Duna” de 1965 – no qual o filme se baseia – o significado com certeza é outro. Conhecer previamente a obra e ter uma fonte de comparação com o filme te permite mergulhar muito mais profundamente nessa “Duna”, com o perdão da brincadeira.

Saindo de Arrakis e voltando para Cuiabá

É impossível gostar de algo que não conhecemos. Ao passo que é natural querermos saber mais sobre o que nos interessa. Só que, às vezes, será que o caminho não é o inverso: primeiro começar a conhecer para depois gostar?

Novamente, você pode aplicar essa ideia na medida em que a sua imaginação permitir.

Que tal, antes de assistir a um filme, procurar saber: quem é o diretor? Quem compôs a trilha sonora? Quem são os atores? O filme é baseado em algum livro?

As respostas dessas simples perguntas mudarão a sua relação com os filmes e a profundidade com que você assiste a eles.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura de Cuiabá propõe TAC para combater nepotismo
Próximo artigoIdoso tenta matar esposa de 68 anos com tiro e se mata em seguida