A pandemia e a queda (ou não) dos índices de criminalidade em MT

No Estado, os crimes contra o patrimônio tiveram quedas expressivas entre 2020 e 2021. Já os crimes contra a vida registraram patamares semelhantes

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Em Mato Grosso, os crimes contra o patrimônio tiveram queda expressiva no ano passado – primeiro ano de pandemia – e continuam a registrar índices inferiores aos anos anteriores a 2021. Por outro lado, alguns dos crimes contra a vida (como homicídios e feminicídios), mantiveram números semelhantes.

No ano passado, todos os principais índices criminais analisados (roubo, homicídio doloso, roubo seguido de morte, furto, lesão corporal) tiveram redução superior a 15%.

Os dados foram gerados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e, em 2020, compreendem o período de 10 de março a 17 de maio. O crime com maior queda no período foi de o latrocínio (54,5%).

Já no primeiro quadrimestre de 2021, os números continuam a registrar queda. Nesse período, os roubos seguidos de morte reduziram em 14%. Já os crime de roubos caíram 32% e os furtos em 15%.

Menos pessoas na rua é uma das teses para a redução da criminalidade (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Por outro lado, os casos de homicídios (7%) e de feminicídios (14%), mesmo registrando queda, tiveram números bem próximos aos do ano anterior: uma diferença de 19 casos de homicídios e três de feminicídio na comparação entre o primeiro quadrimestre de 2020 e 2021.

Mais tempo em casa, menos chance para os bandidos

Para o professor do departamento de Administração da Fundação Getulio Vargas (FGV), Rafael Alcadipani, a menor circulação de pessoas na rua acaba contribuindo, em um primeiro momento, para a redução de crimes contra o patrimônio.

“O sujeito não vai roubar um celular na Avenida Paulista porque não tem gente na Paulista usando o celular. As pessoas vão para casa. Quando elas vão para casa, são gerados dois efeitos: um é o aumento de crimes de violência doméstica e o aumento de homicídios, porque começa a ter muito mais conflito interpessoal do que tinha antes”, afirma.

Já o secretário de Segurança Pública de Mato Grosso, Alexandre Bustamente, não credita a queda à situação de pandemia.

“Alguns poderiam atribuir as reduções à situação da pandemia, mas esta realidade é de Mato Grosso. Em outros Estados da federação, os indicadores aumentaram. Todos os investimentos do governo visam a economia, modernidade, qualidade do serviço, atendimento da sociedade”, ele justifica.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMulher que ficaria com recém-nascido é presa e confessa envolvimento com adoção à brasileira
Próximo artigoConcurso da Polícia Federal 2021 é neste domingo; confira seu local de prova