A já esperada queda na arrecadação

Dívida ativa do Estado arrecadou menos da metade do que estava previsto para abril. Um resultado pior que o de março

(Foto: Reprodução)

Menos da metade do que o governo de Mato Grosso esperava arrecadar em abril com o pagamento de impostos que já estavam atrasados, de fato, entrou nos cofres públicos. A expectativa era alcançar uma receita de R$ 24,5 milhões, mas a cifra atingida foi de R$ 11,4 milhões, ou seja, 46% do esperado.

Os números da dívida ativa e foram divulgados pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). E apontam para uma queda em relação a março, quando a arrecadação já foi 75% abaixo do que se esperava.

Segundo o procurador-geral do Estado, Francisco Lopes, o motivo do não pagamento desses impostos já devidos é a pandemia do novo coronavírus ou, mais especificamente, as medidas de isolamento necessárias para contê-la.

“A queda inicia justamente no período da pandemia e também quando as atividades comerciais foram reduzidas. Ainda acreditamos em um cenário mais otimista para os próximos meses, com a retomada gradual das atividades no Estado”, destacou.

A dívida ativa é uma das fontes de receita da Secretaria de Estado de Fazenda. Entre os tributos inscritos nela estão cobranças judiciais ou administrativas de débitos de IPVA e licenciamento de veículos, ICMS, entre outros.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFim do “delay” nos testes?
Próximo artigoSítios e propriedades privadas quebram regras de isolamento em Chapada dos Guimarães