A escolha certa do imóvel é repensada com a pandemia

Em tempos de pandemia a transformação das relações familiares é uma das tônicas deste período. Neste cenário, o conforto do ambiente residencial é colocado à prova, assim como a funcionalidade de um imóvel. Mais do que nunca o lar voltou a ser o grande porto seguro, um refúgio. Porém apenas a proteção não é suficiente para garantir conforto. Uma planta inteligente, ambientes arejados e mais elaborados fazem a diferença. Neste contexto, podemos destacar, por exemplo, que imóveis verticais, durante este período pandêmico têm sua funcionalidade colocada à prova, pois impera até mesmo as restrições nas áreas comuns.

Por isso, antes de adquirir um imóvel, vários aspectos devem ser levados em consideração. Pesquisa e  planejamento se mostram eficientes. De acordo com o gerente de planejamento do Grupo São Benedito, Heitor Barua, para ter sucesso com a aquisição do imóvel, é preciso investigar com muito cuidado qual é o empreendimento que atende melhor às necessidades da família, não apenas no presente, mas também no futuro. Assim, você só deve bater o martelo depois de uma avaliação criteriosa, analisando uma série de elementos.

“Nosso Grupo cultiva uma espécie de guia ao tratar com o cliente, justamente para auxiliar nessa tarefa trabalhosa, que é escolher o imóvel ideal para a família. Um dos itens básicos, podemos afirmar que a área privativa voltou a ser considerada um dos aspectos principais para a escolha de um imóvel. Claro que os itens localização e segurança têm peso robusto e não é interessante abrir mão do conforto e da comodidade de um apartamento com espaços bem planejados”, explica Barua.

A avaliação do tamanho ideal do imóvel depende de variáveis, como o número de pessoas que vai morar no imóvel e também a rotina da família. Nem sempre um apartamento imenso é sinônimo de garantia de conforto, o que vale segundo Barua, é um projeto arquitetônico bem elaborado. “Um item que não é possível dispensar em um apartamento, por exemplo, é a varanda gourmet, pois ela confere um ambiente mais aprazível, arejado e iluminado que se converte para os demais ambientes do imóvel, além de ser promotora de interação social dentro do próprio contexto familiar”, exemplifica.

O tamanho da família

É claro que o mercado imobiliário acompanha as tendências de comportamento e elabora padrões construtivos de acordo com o cenário, hoje os casais optam por ter menos filhos, os que planejam uma família maior, não ultrapassam a três. Portanto, o ponto de partida para a decisão de escolher um imóvel mais amplo ou compacto, deve ser de acordo com o número de integrantes da família. Para o gerente comercial do Grupo São Benedito, Fábio Reuter, os casais com filhos ainda pequenos, não se importam em fazer com que as crianças do mesmo sexo dividam o quarto, mas quando chega à adolescência esse padrão muda.

“É muito comum querer dar um upgrade no apartamento quando os filhos crescem, se a família está formada, sem muita probabilidade de crescimento, a motivação de trocar um imóvel menor por um mais amplo e com generosa área comum aumenta ainda mais. Os adolescentes dificilmente apreciam compartilhar o mesmo quarto, cada um tem uma personalidade diferente e preferem manter sua identidade com originalidade. Analisando inúmeros fatores é possível ter opções mais assertivas na aquisição do imóvel”, defende Reuter.

Ponderar sobre a rotina dos membros da família também merece atenção. Alguns têm o dia a dia mais agitado, mesmo que mantenham um trabalho home office, em contrapartida outros podem passar longas horas fora de casa, ou mesmo durante a semana. E aí entra outro fator tão importante quanto o tamanho ideal do imóvel, a localização, inclusive é o item de maior influência na formação do preço de um imóvel.

“Este aspecto não deve ser um peso assustador, ao contrário, a localização é parte do ritmo da valorização do imóvel. É a segurança extra de que o patrimônio não será depreciado. E talvez, em tempos pandêmicos a acessibilidade ganha notoriedade, pois a boa localização de um imóvel pressupõe a facilidade de se chegar e sair dele, hoje os cuidados estão redobrados com o isolamento social, a maioria prioriza ficar no lar, e as saídas ficam apenas por questões prioritárias, alimentação, consulta médica ou emergências, ou seja, uma boa localização oferece esse conglomerado”, certifica Barua.

O Grupo São Benedito mantem condições exclusivas contextualizadas com o atual cenário, a nova proposta são para duas linhas residenciais de alto padrão, o American Diamond e o Jardim Beira Rio. As alternativas diferenciadas permitem apenas uma entrada de 6%, sendo 80% de financiamento bancário e o saldo remanescente em até 12 vezes sem juros, direto com a construtora, com carência de 6 meses para a primeira parcela.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTJMT dá 48 horas para Banco do Brasil obedecer decretos contra a pandemia
Próximo artigoFalência e desemprego: 40% dos bares e restaurantes não conseguirão reabrir em Cuiabá

O LIVRE ADS