29 de maio, Dia Mundial da Energia!

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

De toda energia que a Terra recebe do Sol, consumimos apenas uma pequena parte. A energia recebida pela Terra do Sol é 75 mil vezes a energia consumida. E por onde você anda o nosso amigo “Sol” está sempre com você, disposto a te oferecer algum tipo de solução, seja num centro urbano, seja nos locais mais distantes e isolados do país.

O protagonismo agora são das renováveis com destaque para a energia solar fotovoltáica.

Nossa matriz elétrica de geração no Brasil possue mais de 80% da energia gerada proveniente de fontes renováveis. Sim, sem dúvida, um bom motivo a comemorar! Por outro lado a energia elétrica não cai na ponta para os consumidores, sendo a energia elétrica é um serviço essencial para toda a sociedade. Reajustes extremamente elevados da ordem de 20% e lucros enormes das empresas tem sido verificados nos últimos dois anos em plena pandemia.

A inflação fortemente influenciada pela tarifa de energia elétrica está em alta onde pagamos de todas as formas, seja nas contas de luz, seja nos produtos e serviços que adquirimos, afetando além das empresas os consumidores, principalmente os pequenos consumidores, que são a grande maioria.

É um grande desequilíbrio onde ninguém perde de um lado e do outro lado o consumidor paga por tudo na ponta deste rico negócio.

Mudança já no modelo tarifário e Modernização já do setor elétrico com abertura do mercado livre para todos os 88 milhões de consumidores cativos, reféns de um modelo já esgotado.

Cada agente desta cadeia desde a geração da energia, passando pela transmissão, distribuição, governo e consumidor final deveria assumir sua parcela de contribuição, nos riscos do negócio e não somente os já tão fragilizados consumidores.

É preciso alocar de forma justa os custos e os riscos do negócio.

Porém, o que vem sendo observado é o caminho mais fácil, “joga-se tudo para o consumidor pagar”.

Finalmente, como digo sempre: a melhor energia é aquela que não se gasta. O meio ambiente agradece e as futuras gerações também.

Pense nisto!

Teomar Estevão Magri, Engenheiro Eletricista com MBA em Gestão de Negócios, Especialista em Energia e membro do Conselho de Consumidores de Energia Elétrica de Mato Grosso-CONCEL MT. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOperação Sonora suspende atividades de cinco bares e conduz um empresário à delegacia
Próximo artigoCanabinóides podem ter papel essencial no tratamento de doenças neurológicas