266 morreram em MT por síndrome respiratória; mas isso não é sinônimo de covid-19

Levantamento foi feito pelo Ministério Público e pneumologista explica quais outras doenças podem ser a causa

(Foto: Freepik)

Um levantamento realizado pelo Ministério Público Estadual (MP) junto aos Cartórios de Registro Civil identificou que 266 pessoas morreram em território mato-grossense entre os dias 28 de fevereiro e 27 de abril vítimas de síndrome respiratória aguda (SRAG).

Os números foram comparados com dados oficiais de infectados pelo novo coronavírus no Estado – 256 casos e 11 mortes, segundo o último boletim da secretaria estadual de Saúde – e, para o Ministério Público, a discrepância entre eles aponta para um atraso no resultado dos exames ou mesmo a falta de testes para covid-19 em Mato Grosso.

Mas afinal, o que é uma síndrome respiratória aguda?

De acordo com o médico pneumologista Lucas Bello, trata-se de uma doença respiratória que pode ser causada por vários tipos de infecção. As mais comuns são as gripes e as pneumonias.

“Existe um leque enorme de infecções virais e infecções bacterianas que podem resultar nisso”, ele sustenta.

Conforme o especialista, a covid-19 faz parte da lista de doenças. E os casos de óbito em que o coronavírus é considerado “suspeito” têm inflado as estatísticas, mas sem um diagnóstico definitivo.

“A covid-19 é uma das doenças que pode causar uma síndrome respiratória aguda, mas as duas coisas não são sinônimas”, ele ressalta.

Para o procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, as informações relativas à pandemia da covid-19 no Brasil e em Mato Grosso também não estão claras. Justamente por isso, o Ministério Público Estadual tem feito levantamentos estatísticos próprios.

Além do número de mortes causadas pela SRAG, a instituição já compilou dados sobre a evolução dos casos e óbitos por Covid-19 junto à Central de Informações do Registro Civil – CRC Nacional, Fiocruz e os boletins diários da Secretaria de Estado de Saúde.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorProjeto quer incentivos às costureiras de máscaras artesanais
Próximo artigoUFMT vai fazer testes de covid-19 em pacientes de 15 municípios