2020 é o ano mais quente da história de Cuiabá. Saiba o por quê

A temperatura você já sentiu na pele, mas a reportagem do LIVRE traz a explicação de um especialista para o assunto

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

2020 já é, oficialmente, o ano mais quente da história de Cuiabá. Isso você já deve ter percebido. Mas a reportagem do LIVRE procurou um especialista que explicasse o motivo. 

Conforme o professor de climatologia do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Rodrigo Marques, o problema foi a falta de uma frente fria que, geralmente, chega à região da América no inverno.

Sem ela, houve esse efeito recorde de sequência de vários períodos com altas temperaturas que você tem sentido na pele há, pelo menos, duas semanas. 

O professor destaca, por exemplo, que agosto e setembro foram os meses mais quentes do ano na Capital desde 1910, quando teve início a medicação de temperaturas. 

Para se ter ideia, em 19 dias de setembro a temperatura chegou a 40ºC e, na semana passada, os termômetros registraram 44ºC, o pico mais alto alcançado até o momento em ao menos um século de aferição. 

“Não é só que houve recorde de calor para um dia, 2020 é o ano mais quente da história de Cuiabá. A frente fria que sobe da região Sul do país não ocorreu este ano e a massa de ar que, em Cuiabá, já quente em outras épocas do ano, com esse fenômeno, ficou ainda mais quente, porque ficou represada”, explica o professor. 

Mas, neste ano, esse fenômeno não ocorreu e o motivo ainda está sendo analisado pelos estudiosos de climatologias e também houve maior intensidade de calor. A consequência foi que, na região central do Brasil, criou-se um “centro de alta pressão” de temperatura. 

O ar ficou mais seco e as temperaturas elevadas, fazendo o clima ficar mais quente (anticiclone). Conforme o professor Rodrigo, o anticiclone sopra um vento seco de cima para baixo e quando desce ele se aquece pois sofre compressão.

“As pessoas dizem que tem relação com o aquecimento global, mas acho que fazer esse julgamento com base em acontecimentos de um ano é pouco seguro. Cuiabá é quente normalmente e o aumento deste ano precisa ser estudado”, diz o professor Marques.

Na avaliação dele, as altas temperaturas devem começar a ficar amenas na segunda quinzena de outubro, quando o anticiclone deve começar a perder a força e as chuvas devem começar a chegar a Cuiabá. 

No dia 10, próximo sábado, as chances de chuva estão em 90%, nos dias 13 e 14, também a probabilidade prevista é grande. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDonald Trump apresenta boa recuperação e faz aceno a apoiadores
Próximo artigoTurismo perde quase 50 mil empresas e 500 mil empregos em 6 meses de pandemia