2019: MT recuperou R$ 194,5 milhões levados pela corrupção

Empresas admitiram fraudes e devolveram o dinheiro. Quer saber onde ele foi usado?

Mato Grosso conseguiu reaver no ano passado R$ 194,5 milhões levados pela corrupção. O dinheiro foi devolvido por meio de acordos de leniência firmados pelo governo com seis empresas que admitiram ter participado de fraudes.

Hoje, elas estão comprometidas em contribuir com as investigações.

O valor é resultado de ações movidas pela Controladoria Geral do Estado (CGE-MT), Ministério Público Estadual (MPE) e Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Desdobramentos de auditorias realizadas pela CGE entre 2009 e 2015, operações policiais e do MPE entre 2015 e 2017 e de acordos de colaboração de ex-integrantes do governo.

Para onde vai?

Os recursos foram devolvidos por meio de pagamentos de multas administrativas e indenizações por dano moral coletivo (civil).

O dinheiro das multas, agora, será administrado pelo Poder Executivo estadual. Já os valores recuperados com as indenizações por dano moral ficam sob a gestão do MPE.

O montante recuperado em 2019 foi destinado para ações nas áreas de saúde, segurança pública e prevenção à corrupção.

Do total devolvido, R$ 75 milhões, por exemplo, foram destinados para a retomada das obras do Hospital Central de Mato Grosso, com cronograma de pagamentos assegurados até dezembro de 2021.

E ainda tem mais

Atualmente, estão em andamento 51 processos administrativos relacionados a Lei Anticorrupção, envolvendo 210 empresas.

Desse total, nove processos de responsabilização foram instaurados em 2019, para investigar 72 empresas.

O acordo de leniência é um instrumento previsto na Lei Anticorrupção (Lei nº 12.846/2013), semelhante à colaboração premiada. Para a celebração do acordo, a empresa deve, entre outros requisitos, admitir a participação nas fraudes e cooperar com as investigações.

Ela tem a obrigação de identificar os demais envolvidos e ceder provas que comprovem o ilícito.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSérie sobre mitologia nórdica da Netflix, Ragnarok ganha trailer
Próximo artigoAdvogado amarra braços e pernas da filha e a estupra

O LIVRE ADS