20% dos mato-grossenses admitem abusar de bebidas alcoólicas

Pesquisa do IBGE diz que a proporção é quase três maior entre os homens, que também costumam dirigir após o consumo

(Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Mais de um quinto da população de Mato Grosso assume que consome bebidas alcóolicas em excesso para o padrão brasileiro. Os dados estão em pesquisa de autopercepção da saúde, divulgada nessa terça-feira (24) pelo Instituto Brasileiro Geografia e Estatística (IBGE). 

Na média geral, 21,5% dos entrevistados disseram que tem o costume de consumir bebidas com álcool acima de uma vez por semana. Mas, na distribuição por gênero, a proporção é quase três vezes maior entre os homens. A frequência considerada abusiva é por 32,7%, enquanto as mulheres esse grupo representa 11,2%. 

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) tem base em números coletados em 2019 entre pessoas com 18 anos ou mais. O objetivo é avaliar como os brasileiros avaliam a sua alimentação, incluindo bebidas e tabagismo, e reflexo dela no quadro de saúde. 

Em Mato Grosso, a proporção de pessoas com 18 anos ou que consomem bebida alcóolica uma vez ou mais por mês está em 30,6% da população; aqueles costumam consumir uma vez ou mais por semana representam 28,2%. No Brasil, a média está em 26,4%. 

A pesquisa aponta que o consumo de álcool está dentre os maiores fatores que causam doenças crônicas não transmissíveis, acidente e violência. Por exemplo, em Mato Grosso 28,4% admitiram que dirigem veículos após consumir bebidas, independentemente da quantidade. 

Ainda assim, sete de cada dez mato-grossenses disseram que consideração boa a sua saúde. A avaliação é maior entre os homens, público onde essa avaliação corresponde a 72%; entre as mulheres o número está em 65,3% do público. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmbaixada chinesa faz ameaças após fala de Eduardo Bolsonaro
Próximo artigo“100% da energia do Amapá foi restabelecida”, afirma Bolsonaro