15 cidades de MT pedem horário mais flexível para o comércio

Municípios também querem toque de recolher a partir das 22h30 e a ampliação no limite de público em eventos

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Quinze municípios do interior de Mato Grosso encaminharam nesta quarta-feira (3) uma carta ao governador Mauro Mendes (DEM). No texto, os prefeitos pedem uma flexibilização do decreto que impôs medidas restritivas para combater a pandemia.

As regras entraram em vigor nesta quarta-feira (3) e incluem toque de recolher das 21h às 5h, sendo que as atividades econômicas devem fechar as portas às 19h.

Os municípios pertencem ao Consórcio Público de Saúde Vale do Tele Pires, composto pelas Prefeituras de Sinop, Sorriso, Cláudia, Feliz Natal, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Lucas do Rio Verde, Nova Maringá, Nova Mutum, Nova Ubiratã, Santa Carmen, Santa Rita do Trivelato, Tapurah, União do Sul e Vera.

Todas defendem uma flexibilização das medidas, aplicadas de acordo com a realidade de cada cidade. Um dos pedidos é a prorrogação do horário de funcionamento do comércio até às 21h, de segunda a sábado, e nos domingos até às 14h.

Pelo decreto estadual, aos finais de semana a autorização é só até o meio dia.

Os municípios ainda pedem ao governador que o toque de recolher comece às 22h30 e que a realização de eventos seja limitada a 50% da capacidade dos ambientes. O decreto do governo prevê 30%.

Também nesta quarta-feira (3), a reportagem do LIVRE conversou com o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga. Ele afirmou que a orientação que tem sido passada aos prefeitos é que baixem seus próprios decretos, mas que a maioria já havia sinalizado por seguir o que estipulou o governo do Estado.

Segundo Neurilan, até o momento, a única exceção havia sido Cuiabá, cujo decreto mais flexível acabou sendo alvo de uma ação do Ministério Público de Mato Grosso.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEfeito colateral: desemprego
Próximo artigoCuiabá: Vereadores aprovam multa, mas cobram mais iniciativas contra a pandemia