0800 da Saúde recomenda ir a hospital só quando quadro é gravíssimo

Idosa de 60 anos com febre e dor de cabeça e quadro de comorbidades diz que foi orientação a tratar "virose" em casa

Imagem ilustrativa (Foto: José Augusto Correa)

O serviço de 0800 de Saúde disponível para tirar dúvidas sobre a covid-19 tem recomendado a população a procurar hospitais para atendimento médico somente em caso de quadro gravíssimo de sintomas. 

Conforme atendentes do número 0800 647 1223, canal do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciosp), o Hospital Júlio Müller, unidade de referência no tratamento do contágio em Cuiabá, somente irá atender quem apresentar febre, tosse, dor de cabeça e, principalmente, falta de ar. 

Em caso contrário, eles têm recomendado o uso de medicamentos que possam mitigar esses sintomas. 

Essa orientação foi repassada na quinta-feira (30) a uma senhora de 60 anos que mora em Cuiabá. Ela ligou para o 0800 para pedir atendimento médico por causa de febre e dor de cabeça. 

A preocupação com os sintomas é maior por causa do quadro de comorbidades de hipertensão, cardiopatia, diabetes e obesidade. 

“Eu liguei e me falaram que não era pra ir [ao hospital]. Disseram que não iriam atender [no hospital] sem uma ligação [da central de telefone] dando autorização. Eles falaram: ‘Não, a senhora está bem. Deve ser alguma virose. Não se preocupe. Continue tomando seu chá, seu remédio’”, disse a idosa, que preferiu não ser identificada. 

Ela complementa: “Aí disseram: ‘Ó, se a senhora estiver sentindo falta de ar… aí, sim, a senhora pode ir’”. 

Segundo a idosa, a justificativa para a recomendação de procurar atendimento médico somente em caso gravíssimo foi a proteção, tanto da pessoa com suspeita da covid-19 quanto de pessoas no hospital. 

O LIVRE entrou em contato com Ciosp, com pedido de orientação sobre a suspeita de contágio pelo novo coronavírus e uma orientação semelhante foi repassada. 

Além da recomendação de tratamento domiciliar para sintomas inclusos nas síndromes respiratórias, houve orientação de acompanhamento dos sintomas pelo período de quatro a 14 dias, em observação de agravamento da situação. 

O que diz o hospital?

O Hospital Júlio Müller informou, por meio de assessoria de imprensa, que a estratégia montada para o tratamento dos casos da covid-19 passa pela Central de Regulação de Saúde dos municípios. 

O hospital, em Cuiabá, disse que está na ponta da rede atendimento, recebendo somente os casos repassados pelas centrais e não tem acolhido diretamente as pessoas com suspeita da doença. 

Já a assessoria da Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que os atendentes do Ciosp estão sendo treinados por equipes técnicas em enfermagem para orientar pessoas com sintomas de síndromes respiratórias. 

“A orientação de procurar os hospitais somente em situação de sintomas graves tem sido repassada pelo Ministério da Saúde. Em tempo de pandemia, os hospitais acabam se tornando centro de disseminação. Essa recomendação é tanto para proteger paciente, que pode estar só com suspeita do vírus, quanto as outras pessoas”, disse. 

Conforme o Hospital Júlio Müller, os pacientes da centrais de regulação devem chegar ao hospital após a identificação de quadro suspeito de sintomas da covid-19 nas unidades básicas de saúde, como UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e UBS (Unidade Básica da Família). 

Os testes somente são realizados após essa triagem. Em outro caso, eles estão sendo realizados por hospitais particulares por contratação dos pacientes. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCoronavírus: governador cobra que ministro esclareça qual será o auxílio a MT
Próximo artigo7 fatos sobre o Dia do Trabalhador que você não conhecia