14 de novembro de 2017 - 07:46

Possível relator no Congresso, Garcia defende privatização da Eletrobrás

União estima arrecadar mais de R$ 12 bilhões com venda de ações da gigante do setor elétrico

Laíse Lucatelli

, da Redação

laise.lucatelli@olivre.com.br

Ednilson Aguiar/O Livre

 deputado federal Fábio Garcia

Fábio Garcia pode ser o relator da privatização do setor elétrico

A privatização da Eletrobrás deve entrar na pauta da Câmara Federal ainda este ano. O projeto de lei deve trazer a proposta de colocar novas ações no mercado para que sejam compradas pela iniciativa privada.

Dessa forma, a União deixará de ter a maioria das ações e deixará de ser a controladora da empresa. O governo federal já anunciou que espera arrecadar mais de R$ 12 bilhões com a operação.

Cotado para relatar o projeto, o deputado federal Fabio Garcia (sem partido) não comentou a possibilidade de assumir a função. “O texto ainda nem chegou à Câmara”, desconversou. Ele defende a privatização do setor elétrico e de outros setores que não fazem parte das funções básicas do Estado.

“São pautas que a Câmara vai ter que enfrentar. Porque o Estado precisa continuar administrando estatais e levando a sua ineficiência para dentro delas em atividades que não são essenciais? O Estado tem que cuidar da saúde, segurança e educação”, afirmou.

“Ou a gente migra para um Estado menor e mais eficiente, ou o cidadão não vai conseguir pagar a conta de um Estado gigantesco, burocrático e ineficiente. Ninguém aguenta mais pagar tanto imposto”, completou o deputado.

A estatal mato-grossense, a Cemat, foi privatizada em 1997, no governo Dante de Oliveira. À época, foi vendida para o grupo Rede e hoje a empresa é controlada pela Energisa.

Leia mais