10 de novembro de 2017 - 22:17

Paulo Borges é eleito presidente do PSDB em Mato Grosso com 69 votos

Presidente da MTI sucede a Nilson Leitão, que dirigiu o partido por seis anos

Laíse Lucatelli

, da Redação

laise.lucatelli@olivre.com.br

Ednilson Aguiar/O Livre

Nilson Leitão e Paulo Borges

Nilson Leitão passa o bastão tucano para Paulo Borges

O novo presidente do PSDB em Mato Grosso é Paulo Borges, eleito por unanimidade com 69 votos, de tucanos de 25 municípios do estado, que compareceram à convenção estadual da sigla na noite desta sexta-feira (10), em Cuiabá. Ele assume após uma gestão de seis anos do deputado federal Nilson Leitão, que dirigia o PSDB desde 2011.

A chapa eleita continua com o advogado Ussiel Tavares na secretaria-geral e agora tem o suplente de deputado estadual Jajah Neves como secretário. O ex-governador Rogério Salles é o 1º vice-presidente, a secretária-adjunta de Relações Políticas da Casa Civil, Paola Reis, é a 2ª vice, e Leitão passa a ser 3º vice. O vereador Renivaldo Nascimento completa a chapa como tesoureiro.

“Paulo não será candidato em 2018 e isso será importante para que ele possa percorrer o estado e montar bem a chapa de deputados. É possível até que o PSDB lance uma chapa pura”, comentou Leitão.

A principal ausência foi do governador Pedro Taques (PSDB), que está na China em evento para atrair investimentos para Mato Grosso. No entanto, o vice-governador Carlos Fávaro (PSD), o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB), e o secretário de Ciência e Tecnologia (Secitec), Domingos Sávio (PSD), marcaram presença no evento. O deputado federal Fábio Garcia (sem partido) e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), também prestigiaram a convenção.

Ednilson Aguiar/O Livre

Max Russi, Fabio Garcia

Discurso conciliador

Integrante do governo Taques, como presidente da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), Paulo Borges adotou um discurso conciliador durante o evento. A mudança da presidência ocorre em meio à crise que se abriu entre o governador e o antigo presidente do partido.

“Temos que aproximar o partido do governo e trazer o governador para dentro do partido. São os dois maiores líderes do PSDB. São amigos, divergem em alguns assuntos, mas não vejo dificuldade em conciliar os dois”, afirmou Borges sobre a divergência entre Leitão e Taques.

O novo dirigente afirmou que vai trabalhar pela unidade do partido para que o PSDB saia fortalecido e aumente sua bancada de deputados federais e estaduais nas eleições do próximo ano, bem como consiga a reeleição do governador Pedro Taques e a eventual eleição de Leitão como senador.

“Eu não ouvi do governador nenhum descontentamento com o partido”, afirmou. Ele destacou, ainda, o fato de pessoas ligadas ao governador, como Renivaldo e Paola, fazerem parte a nova executiva.

Ednilson Aguiar/O Livre

Leitão, Thelma de Oliveira, Rui Prado, Paulo Borges

Leia mais