11 de outubro de 2017 - 08:08

Lesco assumiu crimes para livrar a esposa da cadeia, afirma delegado

Delegado Flávio Stringueta diz que novo depoimento do coronel não acrescenta nada à investigação

Mikhail Favalessa

, da Redação

mikhail.favalessa@olivre.com.br

 

Ednilson Aguiar/O Livre

delegado Flávio Henrique Stringueta

Delegado afirma que coronel Lesco não acrescentou novas informações às investigações

 

O delegado de Polícia Civil Flávio Stringueta afirmou nesta quarta-feira (11) que o novo depoimento do coronel da Polícia Militar Evandro Lesco, feito ontem, em nada acrescentou às investigações do caso dos grampos ilegais. 

Segundo ele, a estratégia de Evandro seria assumir os crimes investigados na Operação Esdras como uma forma de livrar da cadeia sua esposa, a personal trainer Helen Lesco.

“Para resumir o reinterrogatório do coronel, ele confessou todos os fatos a ele atribuídos na Operação Esdras, numa tentativa de livrar da cadeia sua mulher, Helen”, disse o delegado.

“Ele não acrescentou nada e, portanto, sua estratégia não convenceu. O que ele confessou já está plenamente confirmado nos autos”.

A Operação Esdras foi deflagrada pela Polícia Civil no dia 27 de setembro para acabar com uma suposta tentativa de tirar o desembargador Orlando Perri da relatoria do caso dos grampos no Tribunal de Justiça. Oito pessoas foram presas.

Helen Lesco está presa na Penitenciária Feminina Ana Couto May, no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

Foi pedida a transferência do coronel Evandro Lesco do 3º Batalhão da Polícia Militar para uma cela do quartel da Rotam, na Avenida do CPA. O desembargador Orlando Perri ainda analisa o pedido.

Lesco é acusado de ser um dos financiadores do escritório montado para a realização de escutas ilegais. O coronel teria comprado os equipamentos que operavam o Sistema Sentinela, utilizado para grampear jornalistas, deputados, desembargador, vereador, advogados, telefones do Ministério Público Estadual e outras pessoas de interesse da cúpula do governo do Estado.

Helen teria atuado para obstruir as investigações contra seu marido. A personal trainer é suspeita de participar de um plano para cooptar e coagir o tenente-coronel José Henrique Soares com o objetivo de filmar clandestinamente o desembargador Orlando Perri e afastá-lo da relatoria.

Leia mais