10 de agosto de 2017 - 10:35

Em jantar, Taques alinha votação de teto e apoio a sua reeleição em 2018

No cardápio, além de comidas típicas cuiabanas, emendas parlamentares, problemas na área de saúde, VLT e o processo eleitoral do ano que vem

Laíse Lucatelli

, da Redação

laise.lucatelli@olivre.com.br

Ednilson Aguiar/O Livre

Governador Pedro taques

O governador Pedro Taques (PSDB) reuniu sua base aliada em jantar na noite desta quarta-feira (9) e conseguiu deles a promessa de aprovar, com urgência, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do teto dos gastos públicos.

"Todos os presentes fizeram esse compromisso", disse o líder do governo, Dilmar Dal Bosco (DEM).

O governador entregou uma minuta do projeto. Prometeu ainda enviar o texto ao Parlamento na semana que vem. "Disseram que ainda falta lapidar alguns pontos do projeto, por isso a versão definitiva vem só na próxima semana", disse Oscar Bezerra (PSB).

Eleições 2018

No cardápio do jantar, realizado na casa do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), no bairro Bosque da Saúde, havia comidas típicas cuiabanas, como Maria Isabel, farofa de banana, feijão empamonado e paçoca. Ao lado dos pratos, foram tratadas emendas parlamentares, problemas na área de saúde, VLT e as eleições de 2018.

"Pedro Taques é candidato à reeleição em 2018 e falou abertamente sobre isso. Houve uma conversa amistosa sobre a possibilidade de caminhar com ele. Saímos unidos para trabalhar e ajudar a melhorar o Estado. Todos os deputados presentes saíram com projeto de trabalhar à reeleição de Pedro Taques", disse Botelho.

"Todos se comprometeram a dar apoio ao governo e estar juntos na votação desses projetos importantes para o Estado. Queremos também estar junto no período eleitoral. Nosso partido quer estar junto com Taques na campanha de reeleição", completou Dal Bosco.

Emendas atrasadas

Pedro Taques é candidato à reeleição em 2018 e falou abertamente sobre isso

O vice-líder do governo, Leonardo Albuquerque (PSD), contou que o governador apresentou cronograma de pagamento de emendas parlamentares, o que deve ser feito de maneira diluída até o ano que vem.

"Muito pouco foi pago este ano", observou. Segundo Botelho, o governo planeja pagar cerca de R$ 10 milhões por mês em emendas, a partir de agosto.

O governador comentou também sobre operação Descarrilho, deflagrada na quarta pela Polícia Federal, para investigar fraudes na licitação e contrato do VLT em Cuiabá e Várzea Grande.

Segundo Dal Bosco, Taques destacou que sua decisão de aguardar o aval dos Ministérios Públicos Estadual e Federal foi uma medida correta. "Agora é preciso esclarecer o que houve de irregular para trás", disse. Ele reafirmou que o governo e a Assembleia apoiam a operação.

O governador reuniu no jantar 17 deputados da base governista, além do secretários de Planejamento, Guilherme Muller, de Fazenda, Gustavo de Oliveira, da Casa Civil, José Adolpho, da Agricultura Familiar, Suelme Evangelista, Max Russi, de Trabalho e Assistência Social, e Wilson Santos, de Cidades.

Faltaram Wancley Carvalho (PV), que está participando das comemorações do aniversário de Pontes e Lacerda, Daltinho de Freitas (SD), que não pode estar presente em Cuiabá esta semana, Guilherme Maluf (PSDB) e Romoaldo Júnior (PMSB), que foram tratar problemas de saúde.

Leia mais