10 de janeiro de 2018 - 15:10

"Eleições de 2018 passam pelo PSD", afirma secretário geral da sigla

Liderado pelo vice-governador Carlos Fávaro, partido entra ano coeso e com mais de 20 nomes fortes em campo

da Redação

Divulgação/Assessoria

Stephano Carmo, secretário-geral do PSD em MT

Stphano Carmo: as eleições de 2018 passam necessariamente pelo PSD

Com uma bancada de seis deputados estaduais, aproximadamente 200 vereadores, 25 prefeitos e 21 vices, além de espaços importantes no governo do estado, o PSD, do vice-governador Carlos Fávaro, quer se consolidar como um dos principais atores do cenário político mato-grossense nas eleições deste ano.

Para o diretor executivo do partido, Stephano Carmo, com a abertura da janela partidária entre março e abril, a expectativa é que o partido cresça ainda mais, pois prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e outros nomes fortes no interior, que já teriam demonstrado interesse em migrar para a sigla. “As eleições de 2018 passam necessariamente pelo PSD, somos hoje um grande time, porque estamos fortes, coesos e preparados”, disse em nota distribuída à imprensa. 

O PSD já conta em sua base com José Augusto Curvo, Dr. Tampinha, primeiro suplente de deputado federal e assessor especial adjunto no Ministério de Ciência, Tecnologia e Comunicação; o ex-prefeito de Figuerópolis D'Oeste, Layr Motta, que desde 2015 está à frente da Empresa de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Emaper), o secretário de Ciência e Tecnologia, Domingos Sávio, e o presidente da Agência de Estadual de Regulação (Ager), Eduardo Moura.

O diálogo estreito com a base da Grande Cuiabá e do interior, na avaliação interna do partido, tem sido fundamental nesse processo de ampliação do grupo. No ano passado, durante as eleições municipais, o presidente da sigla, Carlos Fávaro, visitou mais de 100 municípios, manteve contato direto com o cidadão de todas as microrregiões e também com os nossos candidatos.

Fávaro também conseguiu costurar a parceria com o PSDB em nível estadual, mesmo estando em disputas diretas com a sigla em 25 municípios. “Nós temos dado suporte à base sem que isso leve a um rompimento, o que é fruto da experiência do Fávaro com o cooperativismo e o associativismo, que é um espaço onde todas as decisões são tomadas em conjunto e em comum acordo. Desde que assumimos a direção, há cinco anos, transformamos o PSD em um partido homogêneo, orgânico e que ouve todas as suas lideranças”, avalia Stephano. 

Diante desse novo desafio, a proposta já para o início do ano é realizar seminários socioeconômicos em 10 polos regionais, com o intuito de ouvir a sociedade e buscar plataformas de ação, dentre essas regionais estão: Barra do Garças, Rondonópolis, Confresa, Água Boa, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Sinop, Lucas do Rio Verde e Alta Floresta.

Jovens e mulheres

Com o resultado das movimentações realizadas para as eleições de 2016, época em que foram realizados 14 encontros regionais e um estadual, o partido tomou novos rumos este ano e se voltou para a criação duas novas frentes: feminina e da juventude.

Reunindo mais de 30 lideranças femininas, a coordenação estadual do PSD Mulher foi oficialmente implantada pelo presidente do PSD, Carlos Fávaro, no mês de setembro e visa unificar as mais de 4,5 mil mulheres filiadas em Mato Grosso, neste caso, por acreditar que elas têm o poder de decisão nas próximas eleições.

O mesmo ocorreu no mês de novembro, quando o PSD deu posse aos novos dirigentes do núcleo jovem da sigla, no ato, 55 jovens se filiaram ao partido. A proposta é trazer a nova geração para discutir e planejar o futuro do país e de Mato Grosso, por meio de uma nova política pautada na transparência e na correção na administração pública. 

Eleições 2018

O diretor executivo do PSD garantiu ainda que a base do partido tem aumentado constantemente com o ingresso de políticos e empresários no projeto eleitoral para 2018. Devem enfrentar as urnas pelo PSD: o ex-prefeito de Nortelândia e atual presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga; o ex-deputado federal e empresário e Sinop, Roberto Donner; e de Nova Xavantina, o agricultor e ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Endrigo Dalcin.

Na lista ainda aparecem a ex-prefeita de Lambari D’Oeste, Maria Manea da Cruz; a ex-vereadora de Poconé, Carla Rondon; o agricultor Reck Junior, que disputou as últimas eleições para prefeito em Tangará da Serra; o coordenador geral da Juventude do PSD Felipe Morbeck, de Barra do Garças, que vem mobilizando os jovens do interior; e na capital, o vereador Toninho de Souza, entre outros. (Com assessoria)