12 de setembro de 2017 - 11:10

CPI contra Emanuel Pinheiro recebe a sétima assinatura

Com o apoio de Elizeu Nascimento, que estava licenciado, faltam apenas duas assinaturas para que o prefeito seja investigado pela Câmara de Cuiabá

Laura Nabuco

, da Redação

laura.nabuco@olivre.com.br

Assessoria

Vereador Elizeu Nascimento

O vereador Elizeu Nascimento (PSDC) será o sétimo parlamentar a assinar o pedido de instalação de CPI contra o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), flagrado em vídeo recebendo dinheiro supostamente fruto de propina, na época em que ainda era deputado estadual.

Elizeu estava licenciado do cargo e retornou ao trabalho nesta terça-feira (12/9). Como a sessão plenária acabou cancelada sob o argumento de falta de quórum, ele adiantou que assinará o pedido de investigação na quinta-feira (14/9), data em que está prevista a realização da próxima sessão.

“Não posso afirmar se [o cancelamento da sessão] foi um boicote à minha decisão ou se está relacionado a outros fatores. O que posso dizer é que todo esse tempo eu estive aguardando para dar meu posicionamento oficial como vereador”, pontuou.

Com a adesão de Elizeu, faltarão as assinaturas de mais dois vereadores para que a CPI, proposta por Marcelo Bussiki (PSB) saia do papel. Caso isso ocorra, Emanuel deve ser investigado por suposta quebra de decoro.

Já assinaram a CPI os vereadores Abílio Júnior e Sargento Joelson, do PSC, Marcelo Bussiki e Gilberto Figueiredo, do PSB, Felipe Wellaton (PV) e Dilemario Alencar (Pros).

Clamor popular

Elizeu cobrou posicionamento acerca da situação dos demais parlamentares. “As imagens são fortes. Todos os vereadores falam que são. Mas não basta apenas dizer, tem que ter posicionamento. Meu posicionamento, inclusive, segue o que a sociedade está clamando”, disse.

Ele, no entanto, também defendeu o suplente que o substituiu, Clebinho Borges (PSDC), e que preferiu não apoiar a instalação das investigações na Câmara. “O pedido de CPI tem prazo de 90 dias. Ele não tinha obrigação nenhuma de assinar no dia que foi apresentado”, afirmou.

A posição dos suplentes em relação à CPI chegou a ser alvo de bate-boca entre os vereadores. O motivo foi um comentário de Felipe Wellaton (PV) em um grupo de WhatsApp que reúne todos os parlamentares.

Ele teria afirmado que os suplentes que estavam no exercício do mandato e não assinaram a CPI perderam a “oportunidade” de deixar uma boa impressão para a sociedade. A manifestação foi alvo de protestos na tribuna.