15 de julho de 2017 - 16:16

Blairo Maggi pede retratação a comando da Aeronáutica

"Espero respeito. E que mais ninguém passe por uma situação dessas", disse ministro, ao LIVRE

da Redação

Aeronáutica

Avião cocaína

Avião com cocaína interceptado pela Aeronáutica: plano de voo falso envolvia fazenda da família de ministro

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, encaminhou na semana passada ofício ao Comando da Aeronáutica pedindo punição administrativa aos responsáveis pela divulgação de que um avião carregado com cocaína havia partido de uma fazenda do grupo empresarial de sua família em Campo Novo do Parecis (390 km de Cuiabá).

A informação constava de um falso plano de vôo que havia sido apresentado pelo piloto para encobrir o fato de a carga ilegal, de 653 quilos de cocaína pura, estar vindo diretamente da Bolívia.

"Espero respeito. E que mais ninguém passe por uma situação desta. E espero que eles revejam suas políticas de divulgação", disse o ministro, em mensagem ao LIVRE.

O avião bimotor foi interceptado no dia 25 de junho por um caça da Aeronáutica e obrigado a fazer um pouso de emergência na região de Aragarças (GO).

"Espero que eles revejam suas políticas de divulgação", disse Blairo Maggi

A primeira nota oficial sobre a operação dizia que o avião havia partido da Fazenda Itamarati Norte, propriedade localizada em Campo Novo do Parecis e que pertence à empresa da família do ministro.

Mais tarde, com a prisão do piloto e do co-piloto, o real trajeto foi esclarecido, mas o impacto já havia se tornado irreversível, em especial nas redes sociais.

A informação sobre o pedido de retração foi divulgada em primeira mão pela coluna Expresso, da revista Época. Ao LIVRE, o ministro não descartou que possa buscar também a via judicial. "Por enquanto, é administrativo", disse.